Catavento – Tudo ao seu tempo

30 de novembro de 2016
Imagem mostra o logo do comentário cata-vento. Ao fundo aparece os pés de uma criança

“Dizem por aí que é melhor trabalhar do que roubar, que o trabalho enobrece e que é preciso trabalhar para ajudar a família”. É com essa frase, conhecida e reproduzida por muitos, que se inicia o documentário Catavento – Tudo ao seu tempo, sobre a exploração infantil em suas diferentes formas.

Idealizado pela Fundação Telefônica Vivo, o documentário é dividido em sete episódios. Cada um deles tem uma abordagem distinta sobre o tema, e trazem à tona a necessidade de se continuar buscando formas efetivas de eliminar o trabalho da vida desses meninos e meninas.

Com narração e depoimento da cantora Daniela Mercury, embaixadora do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), o documentário também dá voz a médicos, psicólogos, educadores sociais, conselheiros tutelares, adolescentes e especialistas.

Confira abaixo os sete episódios de Catavento – Tudo ao seu tempo:

Episódio 1

A questão cultural é uma das principais dificuldades no combate ao trabalho infantil. Conheça jovens de MG que tiveram uma transformação ligada ao tema e tornaram-se multiplicadores.

 

Episódio 2

Entenda quais são as formas legais do adolescente se tornar Jovem Aprendiz e como as empresas podem proporcionar um plano de carreira para esse futuro profissional.

 

Episódio 3

Veja dados sobre a presença de crianças e adolescentes em trabalhos ligados ao crime, sobretudo nas grandes cidades.

 

Episódio 4

Saiba os riscos que correm as meninas que deveriam estar brincando, mas são exploradas diariamente para cumprir com os deveres caseiros.

 

Episódio 5

O que move alguém a trabalhar nesse combate? Quais as paixões?

Militantes da causa comentam a respeito.

 

Episódio 6

Muitas crianças estão trabalhando por uma questão cultural, e por meio de sensibilização das pessoas que estão em sua volta, podemos mudar seus futuros.

 

Episódio 7

No último episódio, fechamos a série como uma grande brincadeira, uma recapitulação de tudo que vimos, mas de maneira informal e divertida.