Alunos da Escola Rural Zeferino Lopes demonstram conhecimento e criatividade em projetos científicos

10 de novembro de 2016

As apresentações fizeram parte da 3ª Mostra de Projetos de Aprendizagem e foram desenvolvidas com o uso de diversas ferramentas tecnológicas.

“Olá, seja bem-vindo! Meu nome é Renan e hoje vamos apresentar o projeto de uma lixeira incineradora de resíduos hospitalares.” A fala formal de apresentação, seguida pela explicação didática e demonstração detalhada da engenhosa lixeira que identifica e queima produtos tóxicos ao meio ambiente, poderia fazer parte de qualquer Mostra Científica. Mas a situação aconteceu em uma sala de aula e foi protagonizada por dois jovens alunos, que construíram o protótipo a partir de materiais simples como caixa de papelão, fios e plásticos.

Utilizar a tecnologia como ferramenta de pesquisa para desenvolver projetos que unem inovação, protagonismo e valorização dos interesses pessoais dos estudantes é o diferencial da Mostra de Projetos de Aprendizagem, realizada na EMEF Escola Zeferino Lopes, localizada no município de Viamão (RS). A escola integra o programa de Escolas Rurais Conectadas e também é uma das seis Escolas Inovadoras apoiadas pela Fundação Telefônica Vivo desde 2013, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Viamão.

O encontro da escola Zeferino Lopes vai além de uma Feira de Ciências tradicional. A Mostra é considerada uma iniciação à pesquisa científica e proporciona aos estudantes a oportunidade de compartilhar os projetos desenvolvidos ao longo do ano com seus colegas, pais e a comunidade.

As rodadas de projetos são realizadas a cada três meses, sempre iniciadas por perguntas norteadoras ou visitas locais. Os assuntos abordados em cada rodada podem ser livres ou temáticos, como foi o caso dessa terceira edição da Mostra.

“Pensamos em explorar os principais pontos da cidade, como o Hospital Colônia e o Museu de Animais Marinhos, para que os alunos pudessem conhecer a história da região onde vivem”, conta a diretora da escola, Rosa Maria Stalivieri.

A experiência resultou em diversas ideias. Alunos do quarto ao nono ano do Ensino Fundamental trabalharam sob a temática da doença hanseníase e as crianças do ensino infantil pesquisaram sobre a biologia de animais como baleias e tartarugas marinhas.

A criatividade encontrada em cada protótipo e a segurança dos alunos aos explicarem sobre suas escolhas impressionou os visitantes, dentre eles, professores de outras Escolas Inovadoras que estavam presentes na cidade para o encerramento do Ciclo de Encontros de Integração 2016.

“Esse conceito de alunos pesquisadores que utilizam a internet desde pequenos para descobertas é algo incrível e com certeza levarei para minha escola”, comenta a professora Ailza Gomes, encantada com o talento dos alunos, divididos por grupos de afinidade. A professora integra o corpo docente de outra escola rural, a EM Manoel Domingos de Melo, situada no município de Santo Antão (PE). Junto com a EMEF Maria Luiza Franzin, as instituições completam o grupo das escolas inovadoras que promovem feiras escolares para apresentar o trabalho dos alunos à comunidade e promover a educação por meio da tecnologia.

Confira como foi a edição da Mostra de Projetos de Aprendizagem de 2015!



Deixe uma resposta aqui