Boas práticas do projeto Aula Digital incentivam a inovação em escolas brasileiras

09 de agosto de 2019

Conheça as experiências pedagógicas de educadores que uniram forças com os parceiros locais para aprimorar a educação nos municípios onde o projeto atua


Um dos primeiros passos para melhorar os resultados na educação é conhecer exemplos de quem já está trabalhando com iniciativas bem sucedidas. Por isso, reunir boas práticas e promover encontros entre educadores de todo o Brasil é um dos caminhos para inspirar outras redes a aproximarem-se de uma educação inovadora.

O Aula Digital, que faz parte do ProFuturo, uma iniciativa global da Fundação Telefônica Vivo e Fundação Bancária “la Caixa”, começou no país em 2017, na cidade de Manaus, e hoje está atuando em cinco territórios brasileiros. O projeto se dedica, em colaboração com as Secretarias de Educação dos Estados e dos Municípios, a oferecer formação continuada aos educadores das redes, recursos tecnológicos, além de acompanhamento pedagógico durante toda a implementação dos planos de aula.

Embora o acompanhamento seja feito pelas Secretarias e pelas parceiras executoras do projeto em cada local, são os professores, gestores e coordenadores que adequam, no dia a dia das escolas, as práticas que fazem sentido para o contexto que vivenciam.

Conheça três experiências de diferentes territórios cobertos pelo Aula Digital que estão inovando no processo de ensino-aprendizagem e inspirando outros educadores!

Imagem mostra grupo de professores sentados em carteiras dentro de uma sala de aula

 

Jornada Pedagógica em Viamão

O município de Viamão (RS) foi o terceiro território a integrar o projeto Aula Digital, em 2018. Desde então, vem somando esforços ao trabalho já realizado pela Secretaria Municipal de Educação. Todo ano, durante o período de recesso escolar, a rede de ensino recebe as chamadas Jornadas Pedagógicas, que são formações de 8 horas de duração, ao longo de três dias, sobre temas que dialogam com a experiência nas escolas.

Este ano, a Secretaria realizou uma jornada específica para ensinar educadores a trabalharem com o kit tecnológico recebido pelo projeto. Com a participação de 500 professores e 57 escolas, a formação dividiu os professores por níveis e os convidou a discutir planos de ação usando a tecnologia oferecida. O planejamento pedagógico montado por eles será aplicado em sala de aula, acompanhado pela equipe parceira executora, HardFun.

“Essa jornada pedagógica deu a oportunidade para o professor conhecer o casamento entre o Aula Digital e a Secretaria de Educação, mostrando que os sistemas andam juntos”, afirma Gabriella Moraes, assessora pedagógica do  projeto em Viamão. “O município investe muito no desenvolvimento profissional dos educadores, porque acredita que só por meio da instrumentalização e do empoderamento eles terão condições de trabalhar com o aluno em sala de aula”, acredita.

 

Avalia Goiânia

Em março de 2019, o Aula Digital começou a atuar em Goiânia, sob a gestão compartilhada com o parceiro executor CIEDS e a Secretaria Municipal de Educação e Esporte. O Avalia Goiânia é uma das ferramentas que existe no município desde 2017 e foi aproveitada para potencializar o desenvolvimento dos educadores e das escolas.

Trata-se de um sistema de avaliação educacional que aponta indicadores sobre o contexto escolar e as necessidades que não atingiram as metas esperadas em comparação com os resultados nacionais. Essa estrutura permite que a Secretaria ofereça subsídios para formulação, reformulação e monitoramento de políticas públicas, avaliando o desempenho dos alunos em momentos e etapas diversas do percurso escolar. A partir desses resultados, a equipe organiza formações para agregar aos processos de aprendizagem.

“Como as escolas estão focadas em trabalhar de acordo com esses resultados, por que não somar valor a esse processo com o Aula Digital?”, diz Gizele Oliveira, coordenadora do projeto na Secretaria de Goiânia. “A ideia é trazer ferramentas para ajudar as instituições a construírem ações pedagógicas que melhorem a qualidade do ensino”, explica.

A próxima formação, Qual é o Papel do Professor? , convidará os educadores a olharem para os indicadores do Avalia Goiânia e montar um plano de ação baseado na realidade escolar em que atuam.

Imagem mostra uma mulher de costas mexendo em um notebook

 

Cronograma de inovação em Sergipe

Em julho de 2018, 301 escolas do estado de Sergipe receberam as maletas doadas pela Fundação Telefônica Vivo. A chegada do kit tecnológico marcou o início da segunda etapa do projeto Aula Digital na região. Os equipamentos – tablets, computadores- têm como objetivo apoiar os educadores no desenvolvimento de novas práticas de ensino que envolvam o uso da cultura digital.

A Escola Municipal Elpídio Barreto, escola rural do Povoado do Sapé, em Nossa Senhora das Dores (SE) já conta com 65% de seus alunos e professores, do 1º ao 5º ano, utilizando os equipamentos. Para garantir que todas as turmas tenham acesso às aulas digitais, eles organizaram um cronograma semanal para trabalhar o conteúdo. São, ao todo, 10 professores que passam meio turno na sala multimídia.

“É uma aula que requer muito tempo porque necessita de estrutura; tomadas, ligar os equipamentos, conduzir os alunos. Por isso, precisamos do cronograma. Os professores se reúnem mensalmente para ajustar os dias e planejar o conteúdo digital. E depois, cada turma trabalha com a sua realidade”, conta Zênia Ribeiro, gestora da Elpídio Barreto.

 

Saiba mais sobre a atuação do Aula Digital em territórios brasileiros



Deixe uma resposta aqui