Em expansão, projeto Aula Digital é lançado em Goiânia

01 de abril de 2019

Projeto que alia tecnologia e novas metodologias de ensino-aprendizagem chega a seu quarto município no Brasil.


Nesta última quarta-feira, dia 27 de março, Goiânia recebeu o lançamento do Aula Digital, projeto da Fundação Telefônica Vivo já presente em municípios de Sergipe, Manaus e Viamão (RS). Na capital, o programa de inovação educativa vai atender 100 escolas da rede municipal, beneficiando 700 educadores e 19.600 estudantes.

No Brasil, o projeto Aula Digital começou em 2017 na cidade de Manaus e hoje cobre 31 municípios de Sergipe e a cidade de Viamão (RS), em parcerias com secretarias municipais e estaduais de Educação, totalizando cerca de 7.000 educadores e 200 mil estudantes atendidos.

Estiveram presentes no auditório do Tribunal de Contas do Estado de Goiás cerca de 300 convidados, entre autoridades, gestores, educadores e coordenadores pedagógicos das escolas que serão inicialmente atendidas.

“A ideia é levar para nossas crianças e professores a possibilidade de potencializar o que já fazem em sala de aula. A tecnologia torna o papel do professor ainda mais relevante. Nossos alunos podem pesquisar qualquer informação na internet e como educadores temos que ajudá-los a entender os conteúdos pesquisados e qualificar o debate, a informação que está sendo recebida” afirmou Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo ao dar início à cerimônia.

Como representante da Fundação Telefônica Vivo, Americo assinou o termo de cooperação junto ao prefeito da capital, Íris Rezende (MDB), ao secretário municipal de Educação e Esporte, Marcelo Costa, ao presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás, Celmar Rech, ao secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Trabalho e Tecnologia, Celso Camilo Junior, e à Erica Contrins, gerente regional da Vivo Goiás.

 

Três ciclos de inovação

Rubem Saldanha, gerente de programas sociais da Fundação Telefônica Vivo, fez uma apresentação sobre o projeto Aula Digital e ressaltou a importância de fortalecer a educação e mudar números, como a projeção de que mais de 23% dos meninos vão abandonar a escola antes de completar o Ensino Fundamental no mundo e que apenas 4,9% dos jovens brasileiros vão terminar o Ensino Médio realmente sabendo matemática.

“A educação é necessária para que as pessoas possam se posicionar melhor na vida em sociedade. Criamos o Aula Digital para poder ajudar a ampliar a oportunidade das crianças. A educação precisa ser o caminho para elas se desenvolverem”, discursou.

O projeto é dividido em três ciclos. No primeiro ciclo, há um acompanhamento e estímulo para que professores, apoiados pelos gestores, despertem para a adoção de metodologias inovadoras. “Isso é a base. Se eu não consigo ainda pensar na inovação e recebo um computador, vou fazer ditado no Word com meus alunos. Trata-se de provocar uma reflexão para que cada um olhe onde está e até onde pode chegar”, complementa Rubem Saldanha.

O segundo ciclo envolve a adoção de tecnologia, ampliando a discussão sobre inovação. Já o terceiro, e último ciclo, se dedica a consolidar condições para que essas mudanças sejam permanentes e que cada professor possa sempre ter meios de melhorar constantemente a maneira de ensinar.

Todas as escolas que assinam o termo de compromisso de implementação do projeto ganham conteúdos digitais de aprendizagem que ficam armazenados em uma rede local, o que garante disponibilidade. Chegam prontos conteúdos de língua portuguesa, de ciência, tecnologia e matemática, além de conteúdos sobre valores e habilidades para a vida. À medida que o professor se familiariza com a plataforma, ele pode até mesmo criar materiais próprios.

Imagem mostra os trê ciclos correspondentes ao projeto Aula Digital

 

Contexto de Goiânia

As cem escolas que iniciarão o projeto em Goiânia foram escolhidas pela diversidade de realidades: há unidades da zona rural e urbana, com maior e menor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com e sem equipamentos tecnológicos.

“A expectativa do projeto em Goiânia é muito boa, porque é um modelo mais avançado. A secretaria já tem um trabalho com Fundação e vai nos ajudar a levar inovação para a rede toda”, garante o gerente Rubem Saldanha.

Há um ano é feito um trabalho de formação junto aos técnicos da Secretaria Municipal de Ensino e Esporte (SME) de Goiânia, por meio da Assessoria Inova Escola. A intenção é repensar as práticas de acompanhamento das escolas e preparar o corpo técnico para que possa replicar conhecimento.

Após o evento de lançamento, houve um alinhamento dos próximos passos entre o CIEDS , parceiro executor da Fundação Telefônica Vivo, e os técnicos da secretaria. A expectativa é dar a formação para os educadores no final de abril.

Iniciativa global da Fundação Telefônica e Fundação Bancária “La Caixa”, o Aula Digital visa criar melhores oportunidades para crianças em 33 países na África, Ásia, América Latina e Caribe, incorporando a inovação nas escolas por meio da tecnologia e de novas metodologias de ensino e aprendizagem.

 

 



Deixe uma resposta aqui