Escolas Criativas adapta conceitos do chef Ferran Adrià para educação

19 de agosto de 2019

Com seis publicações que podem ser acessadas gratuitamente, o Escolas Criativas inova ao adaptar a metodologia usada no premiado restaurante ElBulli, do chef espanhol Ferran Adrià, para que educadores se abram ao novo e levem criatividade à sala de aula.


Como a experiência de um disruptivo chef de cozinha pode agregar conhecimento para educadores? Se a princípio as áreas parecem distantes, o projeto Escolas Criativas aproxima esses dois mundos por meio de uma metodologia que visa promover a inovação e a criatividade, mostrando como construir soluções inovadoras para transformar a educação.

“O principal do Escolas Criativas é que ele não é um roteiro de soluções prontas: é um processo que mostra como, a partir dos seus saberes locais, é possível criar inovações”, explica Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo.

Ferran Adrià é reconhecido por inovar a gastronomia, a começar pelos 25 anos em que atuou no ElBulli, o que rendeu o acúmulo de prêmios, como o renomado Guia Michelin, e o título de melhor restaurante do mundo. Fechou as portas do estabelecimento no auge para se dedicar à pesquisa e focar seus esforços no conceito de inovação e não apenas na criação de novos pratos.

A partir de uma parceria entre a Fundação Telefónica Espanha e o chef Ferran Adrià, o Escolas Criativas aplica a metodologia inovadora desenvolvida no restaurante espanhol ao âmbito educativo para transformar o modo de ensinar e aprender com um ingrediente principal: a criatividade.

Professores e profissionais da educação também participaram da adaptação e elaboração dos materiais de apoio e no acompanhamento de escolas espanholas na aplicação do projeto.

“A ousadia de ElBulli serviu e ainda serve de inspiração, e supôs uma revolução na gastronomia. E me pergunto: não se poderia iniciar essa revolução na nossa educação? Eu não tenho a resposta, sou apenas um cozinheiro curioso. Mas posso contar o que aconteceu na minha área. E, além disso, agora posso dar o testemunho da minha experiência com o Escolas Criativas”, afirmou Adrià na publicação da coleção, que agora chega ao Brasil traduzida.

Mila Gonçalves, gerente-sênior de programas sociais da Fundação Telefônica Vivo, destaca o fato do projeto já ter sido aplicado na prática. “Traz todo o referencial teórico e o processo criativo que o Ferran desenvolveu, além do conceito prático. O material do Escolas Criativas não foi concebido sem ter sido utilizado: foi escrito a muitas mãos e aplicado nas escolas”, conta.

 

Conheça a coleção Escolas Criativas

Totem exibe os seis volumes da coleção Escolas Criativas, que têm capas nas cores verde, roxo, rosa, vermelho, amarelo e laranja, protegidos por um vidro durante o 17º Fórum da Undime.

O projeto Escolas Criativas foi lançado durante a participação da Fundação Telefônica no 17º Fórum Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), que entre 13 e 16 de agosto reuniu cerca de 1.500 pessoas entre dirigentes e equipes técnicas das secretarias municipais de educação do Brasil.

Composto por seis volumes, a coleção Escolas Criativas traz a visão do chef Ferran Adrià, aliada à vivência de outros educadores para construir um método que incentiva o uso da criatividade por meio de discussões teóricas e, especialmente, atividades práticas.

Além disso, a maioria das publicações funciona como um guia e podem ser consultadas sem uma ordem pré-estabelecida. Afinal, a intenção é fazer educadores aumentarem o leque de metodologias inovadoras para aplicar novos conceitos em sala de aula.

“O próprio processo de construção do conteúdo foi inovador, já que juntou processos da área gastronômica com processos escolares”, finaliza Renata Altman, coordenadora de programas sociais da Fundação Telefônica Vivo.

O material está disponível, online e gratuito, na página do nosso Acervo: Escolas Criativas!

A coleção Escolas Criativas está distribuída da seguinte maneira:

Escolas Criativas: trabalho que explica em profundidade a iniciativa, com relatos de Ferran Adrià e uma série de referências educacionais que embasam o projeto como um todo.

EduSapiens: volume dirigido especialmente a docentes, que traduz a metodologia Sapiens, construída no restaurante ElBulli, para os centros educativos.

Meu genoma criativo: aborda o funcionamento das atitudes e habilidades que ajudam os estudantes a alcançar soluções criativas quando enfrentam novos desafios.

Menu de aprendizagem: guia para professores que visa ajudar no planejamento de aulas criativas baseadas nos conceitos de inspiração, adaptação e associação.

Sapiens de escola: promove e estimula a transformação das escolas, compreendidas como grandes ecossistemas, relacionando a metodologia Sapiens a práticas educacionais.

Genoma de escola: traz uma a reflexão sobre a personalidade criativa a partir de três visões: a personalidade criativa do líder, da equipe e da comunidade educativa.

 

 



Deixe uma resposta aqui