Projeto Aula Digital inspira formadores de todo o país em 1º encontro

05 de agosto de 2019

Os cinco territórios nos quais o Aula Digital atua foram representados por formadores que auxiliam as escolas na execução do projeto


Integração, troca de experiências e inspiração foram algumas das palavras-chave que marcaram o I Encontro de Formadores do Aula Digital, iniciativa que leva formação continuada de professores, recursos digitais e inovação educativa para cinco territórios espalhados pelo Brasil. O encontro aconteceu entre os dias 29 de julho e 01 de agosto em Guararema (SP) e reuniu cerca de 100 pessoas entre formadores do projeto e gestores da Fundação Telefônica Vivo.

Estavam presentes formadores de Manaus (AM), Sergipe, Viamão (RS), Goiânia (GO) e Vitória de Santo Antão (PE). Cada localidade foi representada pelos parceiros do projeto, que auxiliam professores e gestores escolares na execução do Aula Digital.

O projeto Aula Digital faz parte do ProFuturo, um programa global da Fundação Telefônica Vivo e Fundação Bancária “la Caixa” presente na África, Ásia e América Latina e também em regiões brasileiras com diferentes desafios e características. Para Mila Gonçalves, gerente-sênior de Programas Sociais da Fundação Telefônica Vivo, cada localidade tem muito a ensinar e a aprender. “É a partir dessa diversidade que se percebe a riqueza do projeto. Por contar com tantos olhares distintos, conseguimos fazer a diferença como estamos fazendo”, acredita.

Apesar das particularidades de cada território, Mila acredita que a paixão pela educação demonstrada por todos os formadores é uma das principais semelhanças entre eles. “Esse encontro com certeza proporciona uma integração muito maior do que já temos, pois o Brasil todo está representado. São dias de trocas intensas onde todos colocam o seu melhor e, por isso, vamos sair daqui com uma rede ainda mais fortalecida”, complementa.

Sentada à direita, Mila Gonçalves, gerente-sênior de Programas Sociais da Fundação Telefônica Vivo, participa de painel e conversa com Caroline Tavares, do movimento Profissão Docente, sentada à esquerda da plenária. Ao fundo, os participantes estão sentados em volta do palco.

 

Cenário desafiador

O encontro também foi uma oportunidade para que os formadores observassem os desafios do cenário educacional no Brasil, especialmente em relação ao uso de recursos tecnológicos. Caroline Tavares, do movimento Profissão Docente, apresentou dados para mostrar como o país ainda precisa avançar.

A Pesquisa Profissão Docente, citada pela especialista, aponta que 49% dos professores pesquisados não recomendam a própria profissão. Já 67% gostariam de ser ouvidos sobre políticas educacionais e 71% acreditam que sua formação inicial é insuficiente. Além disso, 52% dos professores dizem que os recursos pedagógicos não são adequados e 60% afirmam que o acesso à internet e os recursos tecnológicos digitais na escola não são nada adequados.

“Quando pensamos na escola, tão importante quanto o currículo escolar e a gestão, é a prática pedagógica do professor. Precisamos de políticas estruturantes para esse profissional”, disse a especialista. “Os professores têm dificuldade em trazer tecnologia para a escola porque o acesso e o ensino sobre ela é deficiente”, afirmou.

Rubem Saldanha, gerente de Programas Sociais da Fundação Telefônica Vivo, ressaltou a importância da formação de educadores voltada ao uso de recursos tecnológicos em sala de aula. “Quando falamos em tecnologia, quem conhece mais, usa, se engaja mais e também sente menos pressão em utilizá-la. E quem tem mais chances de formação tecnológica, usa esses recursos com mais frequência”, disse.

 

Inspiração e integração

Participantes do 1º Encontro de Formadores do Aula Digital posam para foto em grupo com as mãos levantadas

O I Encontro de Formadores do Aula Digital proporcionou aos participantes, a oportunidade de compartilharem experiências, levando ideias que podem virar boas práticas nas realidades locais. Confira algumas das impressões dos formadores de cada um dos cinco territórios.

 

Manaus (AM)

“Sentimos que os professores não acreditavam nas formações quando chegamos. Hoje, após usar muito a escuta, visitar as escolas e pensar nas formações baseados na realidade deles, eles mudaram essa visão sobre o Aula Digital. Hoje o projeto têm respeito e atenção”.

Zevaldo Sousa, formador da Fundação Vitória Amazônica

 

“O objetivo do Aula Digital é trazer uma educação autônoma, criativa, inclusiva, tecnológica, colaborativa e protagonista. Mais do que dar qualificação, é preciso dar poder aos professores para eles entenderem o que o projeto pretende fazer”

Vanessa Costa, formadora da Fundação Vitória Amazônica.

 

Sergipe

“O intercâmbio desse encontro é uma oportunidade de ganhar experiências e descobrir soluções que não tínhamos pensado e que podem ser adequadas ao nosso território. É um privilégio estar com pessoas que têm muito a oferecer”.

André Miranda, formador do Instituto Paramitas

 

“Além dos gestores transmitirem o que é o projeto aos educadores, nós, formadores, mostramos o que é o Aula Digital para fazer o professor sentir a plataforma. Não há pessoa melhor para tirar dúvidas do que o formador. Participar do Aula Digital traz motivação para os docentes e cidadania aos alunos”. 

Brayan Lucas, formador do Instituto Paramitas

 

Viamão (RS)

“Fazemos reuniões, conferências e temos momentos de troca com os assessores da secretaria municipal de educação e diretores pedagógicos das escolas. Trouxemos essas pessoas para perto de nós, conhecemos quais as necessidades deles e avaliamos o que precisamos para integrar esses atores ao projeto. Eles se sentem parte de todo o processo”.

Cíntia Bauer, formadora da HardFun Studios

 

Goiânia (GO)

“Além da troca, nós temos a oportunidade de ter uma visão abrangente, não apenas nos territórios do nosso país, mas também em outros. Dessa forma, voltamos ao nosso local para entender mais ainda que temos uma proposta global, mas que podemos adaptar outras experiências à nossa realidade, buscando referências”.

Luciana Freitas, gerente de tecnologia educacional da Secretaria Municipal de Educação de Goiânia e formadora do Aula Digital

 

Vitória de Santo Antão (PE)

“O encontro é de extrema importância porque essa troca de conhecimento nos dá uma visão mais ampla do que os outros locais já conseguiram fazer, o que nos inspira. A persistência para experimentar é algo que ficará marcado, pois vimos que todo território enfrentou a etapa inicial de planejar, experimentar e retomar os planejamentos a partir do que a escola dá como retorno”.

José Severino, formador da CESAR School



Deixe uma resposta aqui