Undime e Fundação Telefônica Vivo: parceria para fortalecer a educação

20 de dezembro de 2019

Conheça os projetos realizados ao longo de 2019 por meio de parceria entre as duas organizações para promover uma educação de qualidade


A melhor forma de garantir o direito à educação de qualidade é unir forças com representantes do poder público e pensar em soluções colaborativas. A União Nacional dos Dirigentes de Educação (Undime) e a Fundação Telefônica Vivo, como agentes interessados na evolução desse processo educacional, fortaleceram a parceria para potencializar projetos e ações ao longo de 2019.

No contexto do 17º ODS, da ONU, a parceria entre as instituições se estabelece na busca global de estabelecer meios de implementação pelo desenvolvimento sustentável com foco em temas importantes para a educação, especialmente na melhoria da gestão das redes de ensino, da implementação da BNCC, da profissionalização da carreira e formação de educadores, além da alfabetização.

A Undime tem como objetivo a articulação por políticas públicas para a educação, além de apoiar alguns temas de interesse comum com a Fundação Telefônica Vivo, como formação de professores, gestão democrática, inovação educativa e construção de conhecimento alinhado ao século XXI.

“Nossa parceria tem se fortalecido e esperamos que se mantenha assim para os próximos anos. Os educadores ganham e a educação como um todo também. A Undime contribui com a sua capilaridade, fazendo chegar aos municípios as informações. E a Fundação Telefônica Vivo, com a sua expertise sobre tecnologia e inovação na educação. Acreditamos que essa união de esforços sempre trará bons frutos”, resume Luiz Miguel Martins Garcia, presidente da Undime.

Conheça alguns dos projetos realizados para fortalecer a educação brasileira:

 

  1. Formação continuada de professores

Pelo segundo ano consecutivo, a Fundação Telefônica Vivo e a UNDIME se uniram para impulsionar a formação continuada de educadores por meio da plataforma Escolas Conectadas.

Foram 17,5 mil professores inscritos em três ciclos de formações ao longo do ano, com mais de 20 temáticas diferentes em cursos online gratuitos para o desenvolvimento de novas competências para aprendizagem em sala de aula, utilizando recursos digitais e atividades escolares.

O grande diferencial de 2019 foi o lançamento de 10 novos cursos, além da inclusão dos cursos do Escola Digital e do Portal Trilhas. Todas as formações são certificadas por instituições de Ensino Superior, reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

 

  1. Troca de experiências e articulação
Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo, e Mila Gonçalves, gerente de Programas Sociais posam para foto com parceiros durante o 17º Fórum Nacional da Undime
Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo, e Mila Gonçalves, gerente de Programas Sociais posam para foto com parceiros no 17º Fórum Nacional da Undime

Pelo quarto ano seguido, a Fundação Telefônica Vivo foi apoiadora do Fórum Nacional da Undime. O 17º Fórum contou com cerca de 1.500 dirigentes e gestores educacionais brasileiros que se reuniram no município de Mata de São João (BA) para debater temas como Fundeb e implementação da BNCC.

Além de apresentar aos dirigentes educativos projetos sempre conduzidos em parceria com secretarias de educação locais, como os cursos oferecidos pelas plataformas Escolas Conectadas e o Escola Digital, o fórum também promoveu debates para troca de experiências e articulação entre educadores, parte fundamental da melhoria constante da educação.

“A Undime é fundamental para o desdobramento de políticas públicas educacionais importantes como a alfabetização, por exemplo. O papel formador e agregador da Undime é de suma importância e não vejo a política pública de educação acontecer sem a participação dela ou dos municípios”, afirmou Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação durante o evento.

 

  1. Inovação Educativa

Outra grande ação promovida pela Fundação Telefônica Vivo com a parceria da Undime e de outros parceiros como UNESCO, ConsedMovimento de Inovação na Educação, além da coordenação técnica do Cenpec, foi o lançamento do Desafio Inova Escola.

Educadores de escolas públicas e particulares foram chamados para pensar caminhos para inovação. Os inscritos passaram por uma Trilha Formativa e elaboraram, em grupos, Planos de Inovação para suas escolas. Em novembro foram anunciados os vencedores durante o Fórum de Inovação Educativa, evento realizado em parceria com a Folha de S. Paulo.

Vencedores do Desafio Inova Escola posam para foto em cima do palco ao receber o prêmio das mãos de Celso Fernando Iversen, Dirigente Municipal de Educação de Porto Feliz e vice- presidente da Undime do interior de São Paulo e Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo
Celso Fernando Iversen, Dirigente Municipal de Educação de Porto Feliz e vice- presidente da Undime do interior de São Paulo e Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo entregam o prêmio aos vencedores do Desafio Inova Escola

Com a mobilização de mais de mil educadores, foram promovidos formações continuadas e o debate de como levar a inovação educativa a todas as regiões do Brasil. Ao longo de 2020, os cinco projetos vencedores vão implementar os planos construídos ao longo da jornada com prêmios que incluem assessoria técnica, intercâmbio entre escolas e ajuda financeira de R$10 mil.

 

  1. Futurologia para a educação

Realizada no Fórum Nacional da Undime e em cinco seccionais da Undime: São Paulo, Goiás, Santa Catarina, Bahia e Espírito Santo, a Oficina O Futuro Chegou capacitou secretários, técnicos e educadores.

Imagem mostra participantes da Oficina O Futuro Chegou sentados em uma sala durante a formação
Oficina O Futuro Chegou realizada durante o 17º Fórum Undime.

A oficina foi pensada para fomentar um planejamento estratégico e aprofundar o debate sobre futurismo, sensibilizando sobre a urgência de inovar em educação para superar os desafios contemporâneos. Dessa forma, gestores, dirigentes de equipe e educadores foram levados a refletir sobre novos padrões de educação, competências e novas tecnologias para que possam atuar como multiplicadores desse conhecimento nas suas redes de ensino.



Deixe uma resposta aqui