Educação inclusiva e colaborativa: um direito de todos

Para Roberto Alencar, da EMEF Alan Kardec, a educação é um compromisso coletivo dentro da escola

IE_jose_alencar_736X341

Nome: José Roberto Alencar | Escola: EMEF Alan Kardec | Projeto: Aula Digital

Basta uma breve conversa com o educador José Roberto Alencar, de 51 anos, para entender como o modelo de educação inclusiva e participativa defendida por ele, reflete em seu trabalho como gestor da EMEF Alan Kardec, localizada na cidade de Manaus (AM).

Antes de se tornar gestor, Roberto já trabalhava com educação inclusiva dentro da rede municipal de ensino e o tema virou objeto de estudo do seu curso de especialização. Convidado para assumir a gestão da Escola Alan Kardec em 2010, o educador passou a utilizar toda sua experiência e conhecimento no assunto para promover práticas voltadas à inclusão de crianças com deficiência da escola.

“Todo aluno que bate em nossa porta é bem recebido. Ainda não temos a estrutura necessária, mas adaptamos a escola na medida do possível porque sempre lutei por uma inclusão digna e acredito que onde há vontade, há um caminho para trilhar” ,afirma.
O gestor lembra que na época em que aceitou o cargo, a escola ainda era uma construção anexa de outra escola e só depois viria a ganhar um prédio próprio. “Hoje, a escola conta com 12 salas de aula, 24 turmas e atende cerca de 700 crianças da periferia da região”, diz orgulhoso.

Oportunidades e transformações

O modelo de direção colaborativa do educador ganhou força com a chegada da iniciativa global Aula Digital na escola, em 2017, no qual estão contempladas formações de educadores, acompanhamentos nas escolas e conteúdos pedagógicos digitais.

Roberto conta que sua participação no módulo Gestão Inovadora o inspirou a começar a digitalizar todos os processos da escola, além de ampliar propostas que já aconteciam na instituição, como o projeto “Escoteiros do Kardec”.

A iniciativa, que existe desde 2010, incentiva alunos do quinto ano a serem responsáveis pelos alunos mais novos, promovendo a segurança, o respeito e o cuidado ao próximo no ambiente escolar. Reformulado, o projeto agora inclui a missão de tornar-se uma ferramenta facilitadora do processo de ensino-aprendizagem para formar cidadãos críticos, comprometidos e, quem sabe, futuros educadores.

O Aula Digital era o que estávamos precisando para desenvolver o potencial de cada educador e transmitir esse conhecimento aos nossos alunos. Só tenho a agradecer pela oportunidade de participarmos de algo tão bacana e que trouxe um mundo de oportunidades para nossa escola”, ressalta o gestor.

Questionado sobre os caminhos para se inovar na educação, Roberto acredita que é papel de cada profissional buscar novas maneiras de ensinar e utilizar a criatividade para desenvolver um trabalho que esteja sempre à altura do que os alunos merecem.

“Sou fruto de uma educação antiga e hoje vejo a importância de se aprender novas ferramentas em prol dos alunos. Cabe a nós quebrarmos essa barreira e dar oportunidades aos que estão a nossa volta porque a escola é a janela do mundo e um verdadeiro espaço de transformação”, conclui.

Cidade pioneira

Manaus é a primeira cidade do país a receber o Aula Digital, iniciativa global da Fundação Telefônica e Fundação Bancária “La Caixa”, que visa melhorar as oportunidades das crianças na África, Ásia e América Latina, incorporando a inovação nas escolas por meio da tecnologia e de novas metodologias de ensino e aprendizagem. Na capital do Amazonas, o projeto é realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação – SEMED. O projeto teve início em abril de 2017, com o compromisso de atender 140 escolas da rede municipal por meio da formação de 700 professores. O parceiro executor do projeto é a Fundação Vitória Amazônica.

Em breve você conhecerá outras histórias. Aguarde!

Conheça outras histórias