Os números do aprendizado

Moça de blusa azul e branca olha para a câmera na frente de vasos de flores.

Nome: Ana Patricia de Oliveira | Escola: EMEF Adão Benezath e EMEF Isaura Marques da Silva | Projeto: Escolas Conectadas

Apaixonada por números e cálculos, professora de Vitória encontrou na plataforma Escolas Conectadas espaço para troca de experiências

“São 23 anos dentro de sala de aula. De manhã e à tarde, todos os dias, segunda a sexta, trabalhando com o ensino da matemática”, conta a professora Ana Patrícia Bravo de Oliveira , de Vitória, no Espírito Santo. Apaixonada por tudo o que envolve cálculos desde sua época de escola, a professora leciona para os anos finais do Ensino Fundamental em duas escolas da rede municipal.

Formada pela Universidade Federal do Espírito Santo, entrou para o ensino público após um concurso realizado no último ano de licenciatura. Curiosa por natureza, Patricia participa de muitas formações para professores, tanto as oferecidas pela prefeitura, como de outras instituições.

E foi assim que Patricia conheceu a plataforma Escolas Conectadas, iniciativa da Fundação Telefônica Vivo para apoiar a formação à distância de educadores. Não à toa, o curso ‘Resolução de problemas para além das aulas de Matemática’ foi um dos que mais chamou a atenção de Patrícia. “Trabalhar com resolução de problemas é uma delícia, principalmente quando são contextualizados. A experiência foi muito boa”.

 

Troca de experiências

Mas não foram só os números que fisgaram a professora. “Tive oportunidade de, por meio de determinados cursos, conhecer outras práticas e ferramentas que podem auxiliar no meu trabalho, nas metodologias que eu aplico na escola”. Foi exatamente o que aconteceu quando Patricia concluiu o curso ‘Escola na nuvem: ferramentas gratuitas de produção online’ e aprendeu a manusear uma série de recursos digitais que hoje a auxiliam em sala de aula.

Participar do Escolas Conectadas foi, nas palavras de Patricia, um presente. Ela diz que um dos maiores problemas dos professores é a questão do tempo para poder se aperfeiçoar e a plataforma é um grande auxílio. Ela complementa ainda que “a possibilidade de me capacitar, no tempo que eu podia, no espaço da minha casa, com pessoas sérias e extremamente competentes”, fez a diferença.

Ela já participou de outros cinco cursos, todos em 2017. A professora conta o que mais a atraiu – participar de fóruns na plataforma. “Ter a oportunidade de interagir com pessoas de todo Brasil, com problemas iguais ou diferentes dos meus. Com angústias, fracassos, sucessos, coisas que deram certo… E essa troca foi muito positiva”.

Patricia já faz planos para 2018: “Eu vou continuar participando de cursos pelo Escolas Conectadas. Professor precisa estar sempre antenado, ligado, renovando sua prática. Sempre em busca de novos conhecimentos, novas discussões”.

Todo esse esforço para se manter atualizada, garante a educadora, vale a pena. “Adoro encontrar com ex-aluno e ele falar: ‘professora, estou trabalhando! Passei no concurso! Estou fazendo mestrado, doutorado, e foi a senhora, lá no fundamental, que me inspirou’. Isso dá uma satisfação. Você saber que contribuiu para a formação daquela pessoa”.

Na plataforma Escolas Conectadas são oferecidos cursos gratuitos com conteúdos e metodologias inovadoras de ensino com práticas pedagógicas diferenciadas e de uso da tecnologia nas atividades em sala de aula.

Em breve você conhecerá outras histórias. Aguarde!

Conheça outras histórias