Sempre é tempo de aprender, ensinar e transformar

Maria Bernadete percorreu um longo caminho até se tornar educadora, e buscou no projeto Aula Digital inspiração para inovar em sala de aula.

Bernadette_736x341

Nome: Maria Bernadete | Escola: EMEF Arquiteta Angélica Maria Vieira da Cruz | Projeto: Aula Digital

A rotina da professora Maria Bernadete começa cedo. Às seis da manhã ela já está pronta para pegar o ônibus que a leva até a escola na Comunidade de Santa Marta, no bairro Novo Israel, em Manaus (AM).

De família humilde, Bernadete aprendeu a ler e escrever com a própria mãe antes de ingressar em uma escola, que ficava a quilômetros de distância de sua casa. Anos depois, se matriculou em um curso técnico em contabilidade – que não era bem a sua paixão. Encontrou sua vocação como educadora, percorrendo, assim, um longo caminho para se formar em Pedagogia em 2007, e logo depois em Psicopedagogia.

“Meu primeiro aluno foi meu filho, depois apareceram sobrinhas e alguns garotos da vizinhança. Quando percebi, estava alfabetizando 10 crianças de uma vez”, lembra.

Aos 50 anos, Bernadete passou em um concurso da Secretaria Municipal de Educação de Manaus e hoje leciona na EMEF Arquiteta Angélica Maria Vieira da Cruz para estudantes do ensino fundamental, além de atuar como coordenadora do Projeto Mais Educação – que atende cerca de 100 crianças – e dar aulas de reforço para alunos na mesma escola.

Incansável aos 53 anos, a educadora ainda encontra tempo para participar do grupo de catequese da igreja e estudar inglês. “Cheguei a uma idade em que não tenho mais tempo a perder, então aproveito qualquer oportunidade para me desenvolver como profissional”, conta.

Uma nova oportunidade para inovar

Uma dessas oportunidades foi o curso Espaços Diferenciados, promovido pelo projeto Aula Digital, da Fundação Telefônica Vivo. Para Bernadete, o projeto contribui para pensar novas formas de aprendizagem e traz ainda mais motivação para seu trabalho como educadora. “Eu gosto muito dessa profissão porque a gente mais aprende do que ensina”.

Para ampliar os horizontes
A formação é realizada pela Fundação Vitória Amazônica, parceira executora de uma das etapas do projeto Aula Digital, feito em parceria com a Secretaria Municipal de Educação – SEMED. O projeto iniciou-se em abril de 2017, com o compromisso de atender mais 140 escolas da rede municipal por meio da formação de 700 professores. Saiba mais!

A formação no curso inspirou a professora a criar uma atividade além da sala de aula, em uma área externa da escola que nunca havia sido utilizada.

“Aproveitei o dia do Meio Ambiente e saí com os alunos para que eles observassem os sons e as cores da natureza. Levei alguns poemas de autores que falavam sobre o tema e depois pedi que eles fizessem um texto sobre suas próprias impressões” explica Bernadete, que agora pretende organizar uma coletânea dos trabalhos produzidos. “Participar do projeto fez eu me sentir jovem novamente, e enquanto tiver condições físicas, continuarei estudando”, conclui animada.

“Em breve você conhecerá mais sobre essa e outras histórias. Aguarde!”

Conheça outras histórias