Transformação de duas comunidades em uma só

Após formação do Aula Digital, a educadora Silvana Santos desenvolveu projeto para promover integração entre comunidade quilombola e assentamento do MST

IE_Silvana_736X341

Nome: Silvana Santos | Escola: Escola Municipal Rural Professora Débora Cruz | Projeto: Aula Digital

Localizada em uma comunidade quilombola, no povoado de Cantagalo, em Capela, no Sergipe, a Escola Municipal Rural Professora Débora Cruz recebe alunos de sua própria comunidade e também do Assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MTST) José Emídio dos Santos, a 50 minutos do local.

Como não há escolas no assentamento, as crianças percorrem 10 quilômetros por dia em estrada de terra para estudar. Mas apesar do acolhimento por parte da comunidade escolar, em alguns momentos não se viam inseridos na realidade local.

De acordo com a gestora Silvana Santos, muitos alunos se sentiam discriminados, pois iam a uma escola de uma comunidade da qual não faziam parte. “Sempre desenvolvemos as atividades voltadas para todos, mas era algo deles mesmo”, disse Silvana.

Após a formação do projeto Aula Digital, em 2017, surgiu a ideia de uma iniciativa que suprisse a necessidade de promover a socialização entre a comunidade do assentamento com a comunidade quilombola.

Em busca de uma solução, ela decidiu organizar visitas ao assentamento, onde os alunos poderiam mostrar sua realidade aos colegas. Até agora, já foram realizadas quatro visitas, com cerca de 25 participantes em cada.

Foram convidados todos os alunos do primeiro ao quinto ano. Os que se interessaram foram de ônibus escolar até o local e acompanharam atividades agrícolas, aprendendo um pouco sobre a organização do local.

“É muito interessante como a comunicação e a integração podem ajudar no ensino. É preciso enxergar que nem sempre as minhas necessidades são as do meu colega. O resultado da experiência impactou diretamente no relacionamento entre os alunos”, disse a gestora.

Segundo ela, o resultado também chegou aos educadores, que aprenderam a observar melhor e trabalhar de acordo com a realidade de todos. Aos 39 anos, Silvana trabalha com educação há 12 anos e é gestora da Escola Municipal Rural Professora Débora Cruz há dois.

“Já trabalhei em escolas urbanas, mas gosto mesmo das comunidades quilombolas, porque as pessoas são mais acolhedoras. É muito interessante explorar os ricos conhecimentos locais nas atividades da escola”, disse.

De acordo com Silvana, a formação do projeto Aula Digital transformou seu olhar sobre a educação. “Agora sabemos que é possível desenvolver outras coisas, em lugares de difícil acesso tecnológico. Para nós é uma novidade e podemos melhorar muito”, celebrou a educadora.

Iniciativa global da Fundação Telefônica e Fundação Bancária “La Caixa”, que visa melhorar as oportunidades das crianças na África, Ásia e América Latina, incorporando a inovação nas escolas por meio da tecnologia e de novas metodologias de ensino e aprendizagem, o projeto Aula Digital chegou a Sergipe em 2017 devido a uma parceria com o Governo do Estado. Entre os assuntos trabalhados nas formações ministradas pelo Instituto Paramitas, parceiro executor do projeto no Sergipe, estão temas ligados à inovação educativa, visando ampliação do repertório e inspirações para novas experiências educacionais.

Em breve você conhecerá outras histórias. Aguarde!