Um novo olhar dos estudantes para o local onde vivem

Após participar das formações do Aula Digital, a educadora Cleilde criou ações com os alunos para promover a cultura local

A professora Cleide posa para a foto atrás de um cartaz e usa uma camiseta que diz: Feira Cultural

Nome: Maria Cleilde dos Santos | Escola: Escola Municipal Santo Antônio | Projeto: Aula Digital

A Mata do Cipó, área do município de Siriri em Sergipe, tem aproximadamente 60 hectares de Mata Atlântica. Na região, oficialmente declarada como local de preservação ambiental, há um pequeno povoado que vive essencialmente da plantação de cana de açúcar e da mandioca.

É nesse pedacinho de natureza que está localizada a Escola Municipal de Ensino Fundamental Santo Antônio, uma pequena comunidade escolar que atende 38 alunos divididos em três salas multisseriadas.

Nascida e criada na Mata do Cipó, a gestora da escola, Maria Cleilde dos Santos, conta que as formações do Projeto Aula Digital da Fundação Telefônica Vivo serviram de inspiração para identificar novos espaços de aprendizagem e impactar positivamente a vida do povoado.

A educadora desenvolveu ações como a criação de uma horta para a escola e uma feira de cultura local. “Achei que seria importante criar algo para que a população se sentisse valorizada e que ajudasse os alunos a entenderem o trabalho dos pais e a riqueza dessa cultura para agricultura do município”, explica.

Feira de produtos típicos

Após levar o projeto para aprovação da Secretaria Municipal de Educação de Siriri, a gestora organizou uma visita dos alunos à casa de farinha da região, local onde é produzida a farinha de mandioca e que dá origem a alimentos como a tapioca e o beiju. Uma vez familiarizados com o processo, os alunos apresentaram os produtos típicos na feira cultural realizada na escola e aberta para a comunidade.

“Todos ficaram muito empolgados com o projeto. Conseguimos envolver disciplinas como português e matemática e os alunos aprenderam bastante coisa”
, conta Cleilde.

O sucesso do evento refletiu até na economia local. Com a feira, os produtos típicos ficaram mais conhecidos e o número de encomendas aumentou, principalmente em datas comemorativas, como a Festa de São João. Já a horta deu origem a produtos como coentro e cebolinha, que foram aproveitados no preparo de alimentos feitos na própria escola. 

Expectativa com a tecnologia

Há 28 anos trabalhando como professora na Escola Santo Antônio, Cleilde acredita que a chegada dos kits tecnológicos que fazem parte do projeto Aula Digital irá contribuir ainda mais com a aprendizagem dos estudantes, pois eles poderão se beneficiar do material pedagógico oferecido pelo projeto de maneira offline.

“O máximo de acesso que eles têm à tecnologia é o celular, quando colocam crédito, e lá ninguém tem computador. Será um novo mundo para eles”
, conclui a professora.

Atuação em Sergipe

Iniciativa global da Fundação Telefônica e Fundação Bancária “La Caixa”, que visa melhorar as oportunidades das crianças na África, Ásia e América Latina, incorporando a inovação nas escolas por meio da tecnologia e de novas metodologias de ensino e aprendizagem, o Projeto Aula Digital chegou a Sergipe em 2017, devido a uma parceria com o Governo do Estado. Entre os assuntos trabalhados nas formações ministradas pelo Instituto Paramitas, parceiro executor do projeto no Sergipe, estão temas ligados à inovação educativa, visando ampliação do repertório e inspirações para novas experiências educacionais.

Conheça outras histórias