10 livros infantis que abordam a questão da diversidade

31 de março de 2017
Dia do livro homenageia o aniversário de Hans Christian Andersen, autor de “O Patinho Feio”

No Dia Internacional do Livro Infantil, veja obras para inspirar estudantes e educadores

Apresentar às crianças a importância de respeitar a diversidade cultural, social, racial e de gênero é primordial para a construção de um importante valor em nossa sociedade: a empatia. E a literatura pode ser uma poderosa ferramenta para essa conscientização.

Pelos livros, as crianças são capazes de explorar caminhos desconhecidos, aprender a descobrir o outro e se identificar com as histórias para não se sentirem sós.

Na data em que se comemora o Dia Internacional do Livro Infantil, selecionamos 10 obras que abordam a temática da diversidade e podem contribuir com essa reflexão dentro da sala de aula, inspirando estudantes e educadores.

O Dia Internacional do Livro Infantil é celebrado em 2 de abril, data de nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, autor de “O Patinho Feio”.

 

Olívia não quer ser princesa

Ian Falconer (Globinho)

Capa de livro infantil

Ser princesa é a fantasia de todas as meninas? Não é bem assim.
Na nova aventura da série criada por Ian Falconer, a contestadora
porquinha Olívia descobre que a vida é cheia de alternativas.
Todas as suas amigas só querem saber de ser princesa, com
vestido cor-de-rosa e varinha de condão. Olivia queria ser diferente.

 

 

 

 

 

Do jeito que a gente é

Márcia Leite (Ática Editora)

Capa de livro infantil

O livro traz as experiências de Chico, um adolescente que
está tentando se assumir gay para a família, e de Beá,
uma menina que quer se aceitar, mas detesta sua aparência
e vive em crise com a mãe. Os relatos dos personagens
colocam em pauta assuntos como autoconhecimento, aceitação
de si próprio e dos outros.

 

 

 

 

 

Eugênia e os robôs

Janaina Tokitaka (Rocco)

Capa de livro infantil
Eugênia é uma menina de 11 anos apaixonada por mecânica e elétrica,
capaz de consertar qualquer aparelho eletrônico. Seu quarto parece
mais um cenário de filme de ficção científica do que o mundinho
cor-de-rosa de uma pré-adolescente. Cansada de tentar entender
os seres humanos, mas sentindo-se sozinha, ela decide criar
e programar seus próprios amigos.

 

 

 

 

Flicts

Ziraldo (Melhoramentos)

Capa de livro infantil

Editado em 1969, o livro conta a história de uma cor “diferente”,
que não consegue se encaixar no arco-íris, nas bandeiras
e em lugar nenhum. Ao longo da história, “Flicts” vai se conformando
que “não tinha a força do vermelho, a imensidão do amarelo, nem a paz do azul”,
mas entende que todas as pessoas, por mais diferentes, possuem seu lugar.

 

 

 

 

 

Tudo bem ser diferente

Todd Parr (Panda Books)

Capa de livro infantil
Publicado há mais de dez anos no Brasil, o escritor e ilustrador
norte-americano Todd Parr escreve livros infantis que têm como
mote a diversidade. “Tudo Bem Ser Diferente” aborda assuntos
como adoção, separação, deficiência e preconceito
racial de maneira divertida.

 

 

 

 

O Cabelo de Lelê

Valéria Belém (Editora Ibep)

Capa de livro infantil
Lelê não gosta do seu cabelo. Ela puxa e estica os fios tentando
entender a origem de tantos cachinhos. Depois de muito procurar,
finalmente encontra um livro que responde sua pergunta
e mostra os diversos tipos de cabelo no continente africano.
A obra trata da autoestima infantil com base na história
e beleza da herança africana.

 

 

Rodrigo Enxerga Tudo

Markiano Charan Filho (Nova Alexandria)

Capa de livro infantil

Rodrigo não enxerga desde bebê, mas cresceu empinando
pipa e brincando de carrinho de rolimã. Agora, na nova escola,
ele tem um grande amigo, o André, o primeiro a perceber
que ele também podia ver as coisas do mundo,
mas de formas diferentes. Divertido e questionador, o livro
apresenta para crianças o tema da inclusão social e escolar.

 

 

 

 

 

Um outro país para Azzi

Sarah Garland (Pulo do Gato)

Capa de livro infantil
A partir do olhar da menina Azzi, o livro retrata uma família
do Oriente Médio obrigada a fugir quando a guerra começa.
Apesar das dificuldades da travessia para um novo país,
Azzi encara a situação como uma aventura e acaba descobrindo
sentimentos que não conhecia, como solidariedade e esperança.

 

 

 

 

 

 

Minha família é colorida

Georgina Martin (Edições SM)

Capa de livro infantil
Ângelo tem um irmão de cabelos lisos, uma mãe de cabelos ondulados,
uma avó negra. Todos são diferentes e fazem parte da mesma família.
Como isso é possível já que quase ninguém se parece? Com as indagações
do protagonista da história, o leitor vai descobrindo
com Ângelo que somos feitos da mistura de etnias, hábitos e tradições.

 

 

 

 

Meu amigo Jim

Kitty Crowther (Cosac Naify)

Capa de livro infantil
O que pode acontecer quando dois pássaros machos,
de cores diferentes, se encontram e descobrem que gostam de ficar juntos?
Primeiro, um grande estranhamento. Depois, o desafio de mostrar
que é possível experimentar o amor de várias formas. Uma parábola
sobre lidar com a diferença. É essa a história que Crowther narra com delicadeza.



Deixe uma resposta aqui