Catalão (GO) leva inovação educativa a escolas públicas

22 de janeiro de 2018
Cidade de Catalão ofereceu formação a educadores de 26 escolas, levando inovação educativa a 10 mil alunos

Por meio do programa Inova Escola, o município ofereceu formação aos educadores de 26 escolas, levando inovação a aproximadamente 10 mil alunos

Em uma escola pública de Catalão, a 260 quilômetros de Goiânia, o professor Cléssio Bastos chega à sala de aula, tira o celular do bolso e o conecta em uma caixa de som, reproduzindo uma canção. Na lousa, ele escreve a música em inglês e os alunos, de 11 anos, começam a cantarolar.

A cena é gravada em um vídeo, enviado pela internet ao cantor, que retribui a gentileza gravando um agradecimento. Essa foi apenas uma das experimentações de inovação educativa do professor, convidado a ser mediador do projeto Inova Escola no município, com objetivo de fomentar processos inovadores em instituições escolares públicas.

O Inova Escola é uma iniciativa da Fundação Telefônica Vivo , que conta com o apoio de dois parceiros executores,  CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, na apresentação do portfólio de projetos da Fundação aos Estados e municípios, e do Instituto Crescer, para a realização das formações com educadores, que pretende trabalhar o conceito de inovação educativa em todo o país.

Ao compreender a importância do projeto da Fundação Telefônica Vivo, o município aderiu às formações. Segundo o Secretário Municipal de Educação de Catalão, Leonardo Pereira Santa Cecília, a ideia era transformar a rede municipal de educação em uma rede de escolas do século XXI. “Queríamos oferecer ferramentas para os professores darem um salto de qualidade na educação”, disse.

Como aconteceu

Para atingir tal objetivo, equipes de 26 escolas do município participaram das formações, levando inovação a aproximadamente 10 mil alunos. Liliane Moraes, que atua na Coordenação Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação de Catalão, diz que os educadores começaram a repensar suas práticas e a inovar principalmente por meio de  mudança de hábitos.

A falta de motivação do profissional de educação foi apontada por grande parte das equipes como elemento impeditivo dos processos de inovação. Para Cléssio Bastos, mediador do Inova Escola no município, é justamente este o fio condutor que pode levar a inovação educativa para dentro das escolas.

“Na escola pública, muitas vezes as coisas não acontecem como o professor espera, os alunos não aprendem como ele gostaria e os pais não se envolvem”, disse Bastos. “No entanto, tudo muda quando se reconhece que o rio pode ser ruim, mas eu sou um barco bom e consigo navegar por aqui”.

Foi isso o que aconteceu com Gisele Oliveira Gesser, professora na Creche Ana Maria. Segundo ela, foi importante se reconhecer como uma professora inovadora, pois embora o ambiente não tenha a melhor estrutura, ela descobriu que sempre pode inovar e evoluir.

Formação

O município de Catalão aderiu a seis módulos formativos do Inova Escola, com temas variados e inspirados em experiências e vivências positivas, realizadas em escolas inovadoras. O projeto incentivou os participantes a refletirem sobre como adaptar as estratégias de acordo com a realidade de suas escolas.

Em uma das vivências práticas, o professor é convidado a instigar os alunos a investigarem sobre um tema previsto no currículo escolar. Ao invés de simplesmente pedir um trabalho sobre o antigo Egito, por exemplo, ele pode trazer perguntas bem objetivas, como: “Por que os egípcios mumificavam os mortos?”.

A partir de perguntas disparadoras, os alunos têm a oportunidade de demonstrarem o que fazem de melhor. Ao avaliar todo o processo, o trabalho final se torna apenas uma consequência do percurso.

Se no início da formação 90% dos professores se declaravam contra o uso do celular em sala de aula; ao final, 90% estavam a favor. Leonardo Pereira Santa Cecília, Secretário de Educação do município, compartilhou a satisfação em ter recebido o projeto. “Catalão, a partir do momento que teve a oportunidade de participar do Inova Escola, tornou-se um município com educação à frente dos demais municípios. Nós nos reinventamos. É um privilégio receber o projeto”, disse.



Deixe uma resposta aqui