Dia do Folclore Nacional: conheça a dupla de artistas que usa a tecnologia para contar nossas lendas

22 de agosto de 2017

 

Imagem mostra projeção de imagem do Saci-Perere

Cecilia Soloaga e Ygor Marotta criaram o VJ Suave, projeto que faz do espaço urbano um universo lúdico e colorido

Mitos, lendas, brincadeiras, danças, festas, comidas típicas e demais costumes passados de geração em geração formam o rico Folclore Brasileiro, que tem como data comemorativa todo dia 22 de agosto. E foi pensando em recontar todas essas histórias que compõem a nossa identidade social e cultural – com a ajuda da tecnologia – que uma dupla de artistas audiovisuais criou a instalação Folclore Digital.

Juntos, a espanhola Cecilia Soloaga e o brasileiro Ygor Marotta são a VJ Suave, uma dupla reconhecida internacionalmente pelas suas intervenções com mídias digitais no ambiente urbano, projetando imagens nas fachadas de prédios e muros por meio dos chamados suaveciclos, bicicletas que carregam projetores.

“Quando decidimos trabalhar com o tema folclore, buscamos levar as histórias dos personagens como o SaciPererê, a Sereia Iara e o Boi-Bumbá, por exemplo. É essencial, principalmente para as crianças, entenderem que temos figuras importantes que fazem parte da nossa cultura, do Folclore Nacional”, explica Ygor. Em 2016, a exposição esteve em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, e este ano, no começo de agosto, nossas lendas e mitos passaram por Portugal.

Imagem mostra projeção de imagens pelas bicicletas chamadas suaveciclos

Diferentemente das apresentações que são levadas a espaços abertos, a instalação Folclore Digital foi desenvolvida em um ambiente fechado para proporcionar um verdadeiro espaço multimídia ao público. O resultado é um grande mergulho pela cultura brasileira.

Tudo foi pensado para que o visitante possa “sentir” as lendas por meio de efeitos de luz e som. Utilizando técnicas de video-mapping, as animações são projetadas nas paredes, e o cenário e os personagens ocupam as três dimensões da sala. Já os efeitos sonoros são compostos por instrumentos nativos e sons reais da natureza.

Os criadores explicam que a ideia da instalação é dar às crianças e adultos a oportunidade de explorar imagens e sons, familiarizar-se com as histórias populares e ter contato com novas narrativas, suportes e linguagens de mídia.

“Nós acreditamos que a arte precisa ser acessível a todos, é um direito. E é realmente mágico ver como as pessoas gostam do nosso trabalho, isso não tem preço. O espaço urbano ganha vida, movimento e cor”, finaliza Ygor.

Veja mais imagens da exposição Folclore Digital:

Imagem mostra projeção de imagem do boitata

Imagem mostra projeção de imagem do boitata

curupira-vjsuave

Leia também:



4 comentários sobre “Dia do Folclore Nacional: conheça a dupla de artistas que usa a tecnologia para contar nossas lendas”

  1. Amei a ideia! adoro histórias e fazer parte da mesma e maravilhoso. Showww

    1. aprendiz disse:

      Olá, professora Ivani! Muito obrigada pelo seu comentário! Forte abraço!

  2. Sirlei de Martelli de Souza disse:

    Magníficos,

    1. aprendiz disse:

      Olá, cara Sirlei! Obrigada pelo comentário
      Abraços!

Deixe uma resposta aqui