Educação, tecnologia e inclusão foram destaques no Dia dos Voluntários Telefônica

25 de outubro de 2019

Durante três dias, foram realizadas mais de 1.000 atividades voluntárias envolvendo mais de 8 mil colaboradores da Vivo em 50 cidades brasileiras


O Dia dos Voluntários Telefônica (DVT) 2019, projeto anual que acontece em 27 países, foi realizado no Brasil entre 18 e 20 de outubro, beneficiando mais de 47 mil pessoas. Ao todo, 50 cidades como Marabá (PA), Fortaleza (CE), Uberlândia (MG) e Curitiba (PR) – além de cidades do Estado de São Paulo e outras capitais do Brasil, representando a diversidade regional e de causas atendidas – receberam mais de 1.000 atividades. Na 15ª edição do projeto, a educação, o uso da tecnologia e a inclusão foram protagonistas.

As ações voltadas para Saúde, Assistência Social, Acolhimento, entre outras demonstram a diversidade de causas. Foram envolvidos 8.196 colaboradores da Vivo, que voluntariamente promoveram oficinas, palestras, recreação com foco em tecnologia e ações de zeladoria em 63 instituições.

O Programa de Voluntariado se divide em comitês que organizam as atividades realizadas em cada instituição. Integram os comitês:

  • Embaixadores, que lideram e gerenciam comitês locais de voluntariado;
  • Membros de comitês, que planejam, desenvolvem e executam as atividades;
  • Sponsors, que apoiam os comitês na execução dos projetos.

Abaixo, confira algumas das atividades que aconteceram em diferentes territórios do país durante o Dia dos Voluntários Telefônica!

Marabá (PA)

Cerca de 70 voluntários estiveram na Associação Projeto Semear, que atende crianças, jovens e adolescentes na periferia da cidade paraense. Foram realizadas atividades como apresentações musicais, oficinas tecnológicas para desenvolvimento de robôs e a operação de equipamentos digitais.

A criação de uma rádio web, em parceria entre beneficiários e voluntários, foi umas das atividades principais.

Imagem mostra pessoas dentro de um estúdio de gravação

“Inauguramos a rádio web com 25 alunos que participaram da ação. Também fizemos um mutirão tecnológico para falar com a comunidade sobre a rádio e integrar a população”, disse Raabe Paiva do Carmo, consultora de relacionamento de loja e embaixadora do comitê de Marabá.

“O projeto Semear precisava de ações que englobassem a tecnologia. Eles queriam fazer uma rádio há cinco anos, e por meio do Dia dos Voluntários conseguimos fazer e também engajar os jovens da região.”, finalizou.

 

Fortaleza (CE)

A Sociedade de Assistência aos Cegos atua junto a mais de 200 pessoas na reabilitação de deficientes visuais em Fortaleza (CE). No local, aproximadamente 160 voluntários fizeram oficinas de audiobook, musicoterapia, revitalização de espaços e ainda criaram um espaço maker.

“O mais encantador foi mostrar ao voluntário como é a realidade de uma pessoa cega e quais as suas pequenas dificuldades, como digitar um texto, caminhar ou atravessar a rua”, afirma Daniel Lima de Carvalho Rodrigues, sponsor e gerente de vendas B2C. “Além disso, nosso maior projeto é a Sala Maker, uma inovação para a escola e com a qual as pessoas aprenderão de uma forma diferente e colaborativa”, complementou.

Imagem mostra pessoas sentadas com os olhos vendados

 

Curitiba (PR)

As atividades do Dia dos Voluntários Telefônica na Associação Beneficente Dikaion também focaram em inclusão e tecnologia. Cerca de 300 colaboradores se envolveram em oficinas de robótica e oficina de RH para pessoas com deficiência, além da criação de uma sala de informática. A instituição atende mais de 14 mil pessoas.

Como explicou Marcelo Figlarz, sponsor e diretor de serviço ao cliente Sul “o objetivo é transformar a estrutura física em um ambiente agradável e inclusivo na área social e digital”. Para ele, “é visível a transformação da instituição após a passagem da Fundação Telefônica Vivo, com ações que permitem aumentar o número de pessoas atendidas”.

Imagem mostra voluntaria ao lado de uma das crianças atendidas pela associação, que está em uma cadeira de rodas

 

Uberlândia (MG)

Cerca de 30 voluntários atuaram na revitalização de espaços, criação da sala de fotografia e oficina sobre o tema na APAE de Uberlândia (MG), que atende mais de 300 pessoas com deficiência intelectual.

“Dedicar um pouco do nosso tempo para dar carinho faz muita diferença. Tivemos a oportunidade de testemunhar o sorriso no rosto de cada beneficiado, o que é muito gratificante! São atividades simples que eles valorizam muito”, disse Paulo Sathler, sponsor e gerente de vendas B2C.

Imagem mostra voluntários formando uma roda em pé, juntando as mãos

 

São Paulo (SP)

A EMEF Desembargador Joaquim Candido, zona sul de São Paulo, tem cerca de 400 estudantes entre 6 e 17 anos. Na escola, 450 voluntários criaram uma sala de culinária, revitalizaram espaços, além de contribuir para um projeto que une educação e tecnologia.

“Fizemos uma operação de embelezamento para revitalizar a Joaquim Candido. Meu objetivo é ouvir um dia que algum colega de trabalho matriculou o filho nessa escola”, disse Fernando Ruy, embaixador e analista de marketing sênior.

Ruy considera o Dia dos Voluntários uma das atividades que mais lhe dá prazer. “A Fundação Telefônica Vivo acredita que é importante usar a tecnologia a favor da educação, por isso transformaremos a sala de informática em um cantinho maker”, ressalta.

Em novembro será feita a transformação em uma das salas da escola, que vai ganhar uma impressora 3D, além de tablets, notebooks e óculos de realidade virtual. Além disso, uma oficina sobre robótica envolverá professores.

César Valente, consultor de sistemas, foi um dos colaboradores presentes na instituição e participou de atividades voluntárias pela primeira vez. “Faz dois meses que entrei na Telefônica e nunca tinha participado de algo parecido. É muito legal a empresa investir tempo e recursos para estas atividades”, comentou.

Imagem mostra voluntários em um sala de aula com notebooks

 

O CEAP (Centro Educacional Assistencial Profissionalizante), também na zona sul da capital, teve boa parte das ações promovidas por 200 colaboradores, focadas em palestras sobre tecnologia e empreendedorismo, recreação tecnológica e revitalizações. Quase 1.000 jovens, de 10 a 18 anos, são beneficiados pelo centro.

Paulo Evaristo, embaixador e consultor de televendas, já está no quinto Dia dos Voluntários Telefônica e se diz muito feliz com a edição de 2019. “Pela primeira vez tivemos 60% da atividade voluntária focada em palestras. Os jovens nunca perderão esse conhecimento. Estou feliz em fazer parte dessa história ao trazer conhecimento técnico, que tem grande valor”.

Imagem mostra um homem de pé em um auditório falando no microfone para um grupo de estudantes

 

Na Eco Berrini, sede da Telefônica Vivo em São Paulo, os voluntários passaram por uma vivência para gerar empatia em relação a pessoas com deficiência. A atividade propôs aos participantes usarem vendas, fones que abafam o som e fitas para restringir o movimento durante o café da manhã para simular dificuldades cotidianas dessa parcela da população.

Em seguida, foram feitos baralhos adaptados para pessoas com deficiência visual. Uma das instituições que receberá um dos 25 baralhos produzidos será a Sociedade de Assistência aos Cegos, de Fortaleza (CE).

Imagem mostra voluntários produzindo baralho adaptado para defiientes

David Melcon, diretor de finanças e relações com investidores da Vivo, falou sobre a importância do dia e dessa experiência. “A atividade foi muito bacana para ajudar a nossa integração com deficientes visuais. O Dia dos Voluntários Telefônica fica mais relevante a cada ano. Devemos estar perto dos brasileiros, entender suas necessidades e a data foi um reforço das prioridades do Programa de Voluntariado”, afirmou.



Deixe uma resposta aqui