Educadores de Sergipe e Manaus passam por formação em inovação

03 de julho de 2018

Escolas que aderiram ao projeto Aula Digital participaram dos módulos Gestão Inovadora, Espaços Diferenciados e formação Kit Tec

Educadores formam roda, em pé, durante dinâmica em formação do Projeto Aula Digital

Desde abril, aproximadamente 2 mil educadores das escolas beneficiadas pelo Projeto Aula Digital, da Fundação Telefônica Vivo, recebem formação em Manaus e Sergipe. Os encontros consolidam a parceria com as redes de ensino por meio do envolvimento e da participação direta dos membros e técnicos das secretarias da educação participantes, com excelente receptividade dos educadores.

Os módulos Gestão Inovadora, destinado a diretores e coordenadores pedagógicos, e Espaços Diferenciados, para coordenadores pedagógicos e professores, foram aplicados às escolas que aderiram ao projeto em 2018. As que aderiram em 2017 receberam a formação Kit Tec, para apresentar os recursos e as possibilidades de uso da maleta entregue.

Participaram da formação de oito horas diretores, coordenadores pedagógicos e professores, além de técnicos e coordenadores de Telecentros. A ideia é sensibilizar os educadores novatos no Aula Digital para a temática de Inovação Educativa, conhecendo as premissas e recursos do projeto.

 

Sergipe

Yara Moraes de Oliveira, formadora do Instituto Paramitas, parceiro executor do projeto em Sergipe, comemorou o sucesso das formações. O Instituto também aproveitou para promover encontros sobre O Papel do Professor. “Foi muito importante abordar as diversas maneiras de ocupar espaços além da sala, para enriquecer a dinâmica das aulas”, disse Yara.

Segundo Yara, a conversa com os diretores e coordenadores também foi importante para refletir sobre o trabalho em equipe. “A ideia é que eles possam se abrir e trabalhar juntos com o professor. Para as escolas novas que ainda não receberam as maletas, sempre enfatizamos que o nosso projeto não se trata apenas de recursos tecnológicos, mas de inovação educativa. Os equipamentos são um suporte didático a mais.”

Foi por isso que as escolas que iniciaram a formação no ano passado e receberam os kits tecnológicos em 2018 comemoraram tanto a chegada dos equipamentos. “Elas estão associando os recursos tecnológicos ao planejamento pedagógico. Já recebemos relatos de aumento na frequência escolar, porque a proposta é nova e dinâmica”, disse Yara.

 

Manaus

Educadores participam de módulos de formação do Aula Digital em Manaus

Thessyvanda Torres, formadora da Fundação Vitória Amazônica, parceira executora do projeto em Manaus, também já vem recebendo relatos positivos a respeito das formações. “Temos colhido bons frutos. Uma escola utilizou a metodologia Canvas – Modelos de Negócios para desenhar o protótipo de um espaço para receber a maleta. Quando realizamos a visita, vimos que o ambiente já está sendo construído e é muito acolhedor”, contou Thessyvanda.

Para Thessyvanda, não adianta ter o melhor recurso do mundo se o professor não é qualificado para fazer bom uso da tecnologia. “Para que serve a tecnologia se continuamos com as mesmas práticas?”, questionou. Segundo a formadora, em seus encontros, o Aula Digital é um meio percussor dessa transformação, pois propõe diversas possibilidades de inovação.

“As escolas ficaram muito felizes, mesmo as que não receberam os kits ainda. Em todas as atividades, convidamos os educadores a executarem as atividades que propomos. Por exemplo, falamos sobre a realização de Assembleias com os gestores e fizemos uma para eles conhecerem. Também incentivamos os educadores a fazerem protótipos com massinhas de como imaginavam novos desenhos para a sala de aula e para a escola. Acreditamos na cultura maker, convidando alunos e professores à prática.”

Leia também:



Deixe uma resposta aqui