Em Pernambuco, alunos criam vaso que avisa quando regar planta

12 de abril de 2018

Iniciativa faz parte do projeto semestral da escola rural Manoel Domingos, que fica na cidade de Vitória de Santo Antão

Quatro crianças alunas da escola Manoel Domingues, em Vitória de Santo Antão, trabalham na criação de vaso inteligente

A comunidade de famílias de agricultores de Sítio do Oiteiro, no município de Vitória de Santo Antão, zona rural de Pernambuco, tem um problema: o abastecimento de água é feito por caminhão-pipa, que vez ou outra não vem. Quando isso acontece, a irrigação das plantações fica comprometida.

Estimulados a refletir sobre essa dificuldade, um grupo de alunos da pré-escola e do ensino fundamental I da Escola Municipal Manoel Domingos criou um vaso inteligente que avisa quando as plantas precisam ser regadas.

A iniciativa foi parte do projeto semestral Horta na Escola. Divididos em pequenos grupos multisseriados, os estudantes escolheram eixos temáticos para desenvolverem atividades de aprendizagem criativa e mão na massa. Os resultados foram apresentados à comunidade no I Expo PITCH, em dezembro.

O grupo responsável pela irrigação foi orientado pela professora Ailza Gomes da Cunha Silva. “Eu os incentivei a pensar em maneiras de captar água e, ao mesmo tempo, economizar, já que há muita escassez aqui”, explica a professora. Ela lembra que os alunos trouxeram soluções baseadas na própria vivência com o plantio de hortaliças.

A escola faz parte do programa Inova Escola. Criado pela Fundação Telefônica Vivo em 2013, o programa une escolas inovadoras de diversas regiões do país para incentivar o uso de tecnologias digitais em seus modelos de ensino e aprendizagem.
Vaso inteligente que avisa quando precisa ser regado

Olha a água!

O sistema do vaso que avisa quando regar planta foi desenvolvido com a ajuda do tutor de robótica Everton Tadeu Gonçalves, do CESAR (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife). Com adaptações simples, um vaso comum ganhou sensores de umidade de solo, luzes LED e a placa eletrônica Arduino.

 

“Em contato com o solo, o sensor envia dados sobre o nível de umidade e o Arduino faz a leitura de acordo com parâmetros de programação previamente estabelecidos”, explica Gonçalves. As luzes verde, amarela e vermelha traduzem a situação da terra, dando um sinal de quando a planta precisa ser regada.

 

Aprender com sentido

Incentivar iniciativas que unam aprendizagem criativa e ações com impacto para a comunidade é o princípio do Projeto Político Pedagógico (PPP) da EM Manoel Domingos.
Os projetos e as oficinas mão na massa com o uso de tecnologia contribuem para o desenvolvimento de competências diversas, como trabalho em equipe, protagonismo e construção de pensamento crítico.
Segundo Ailza, os alunos aprendem melhor quando participam de projetos multisseriados. “Além de trabalharem a partir de temas que eles mesmos escolhem, os estudantes têm a chance de compartilhar conhecimento uns com os outros”, diz a professora.

 

Leia também:



Deixe uma resposta aqui