Fundação Telefônica Vivo recebe o Prêmio Viva Voluntário 2018

28 de agosto de 2018

Programa de Voluntariado da Fundação é contemplado na categoria Voluntariado Empresarial no Dia Nacional do Voluntário

Equipe da Fundação Telefônica recebe o prêmio Viva Voluntário em Brasília

O dia 28 de agosto é muito especial e celebra quem doa seu tempo para compartilhar conhecimentos, habilidades e transformar a realidade social, pois é o Dia Nacional Do Voluntário. Há treze anos, a Fundação Telefônica Vivo se compromete a promover e incentivar ações solidárias em todo o Brasil com um Programa de Voluntariado de múltiplos projetos, que incentiva a participação de colaboradores em prol da educação e cidadania.

Justamente pelos resultados atingidos e a experiência adquirida ao longo dos anos, o Programa de Voluntariado da Fundação Telefônica Vivo foi contemplado este ano com o Prêmio Viva Voluntário, na categoria “Voluntariado Empresarial”. Concorreram à premiação de 2018 cerca de 300 iniciativas voluntárias.

O prêmio faz parte do Programa Nacional de Voluntariado e busca articular Governo, sociedade civil e instituições privadas em prol da mobilização social transformadora, buscando atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

A premiação, realizada neste dia 28 de agosto em Brasília, é dividida em quatro categorias: Voluntariado nas Organizações da Sociedade Civil, Voluntariado no Setor Público, Líder Voluntário e Voluntariado Empresarial. Nesta última categoria, foi levado em consideração o impacto gerado pelos trabalhos vinculados à Fundação Telefônica Vivo. Destacam-se o estímulo ao cidadão transformador, a capacitação através de plataformas digitais e a contribuição para o fortalecimento do terceiro setor.

“Através do nosso Programa de Voluntariado, nossos colaboradores exercem a cidadania, reforçamos valores de solidariedade e empatia e, com isso, buscamos um mundo melhor e mais justo. Por isso, incentivamos cada vez mais nossas equipes a se envolverem em ações que vivenciem esses valores. Nosso desejo é construir uma rede cada vez maior de pessoas engajadas socialmente, movidas pelo sentimento colaborativo e apaixonado de fazer o bem. E a conquista desse prêmio reforça que estamos no caminho certo!”, afirma Americo Mattar.

Os responsáveis pelas iniciativas vencedoras poderão ser convidados, num período de até um ano, para participar de eventos e missões organizadas pela Casa Civil da Presidência da República e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

 

Como é ser um voluntário da Fundação Telefônica Vivo?
“A estrutura dos trabalhos voluntários na Fundação Telefônica Vivo foi o que trouxe um incentivo a mais e uma desculpa a menos para fazer o bem”, define o gerente de produção Pedro Facuri ao ser perguntado sobre a experiência como voluntário.

O colaborador veio de Porto Alegre para São Paulo no ano passado e desde que chegou se interessou pelos programas oferecidos pela empresa. Até agora, ele participou do Dia dos Voluntários e do Pense Grande e o próximo passo é participar do Vacaciones Solidárias.

Para Facuri, a segurança e a oportunidade de acompanhar os resultados das ações fizeram toda diferença. “Fico muito feliz de poder trabalhar em uma companhia que se importa com isso e quero pertencer a uma empresa que contribui para a sociedade da qual faço parte”, elogia o funcionário.

Pedro Facuri, voluntário da Fundação Telefônica Vivo aparece em frente a computador
“Dá um ânimo participar de um projeto no qual você enxerga de onde partiu e até onde chegou”, diz Pedro Facuri

 

Já o consultor de marketing Jurandir Muniz Júnior é voluntário desde as primeiras edições do Dia dos Voluntários. Ele conta que é o período mais aguardado do ano, quando amigos e colegas de trabalho se reúnem para ajudar outras pessoas.

“A ação voluntária é muito importante. Você sempre pode agregar algo para alguém. Às vezes parece pouco, mas há pessoas que não têm acesso a informações e serviços que consideramos básicos”, diz o colaborador sobre contribuir com o próximo.

A oportunidade de aliar o trabalho ao voluntariado pode, na visão de Júnior, não apenas facilitar como também incentivar transformações. “Nessas atividades, descobri habilidades que não sabia que tinha. Poder ver nos olhos das pessoas que ajudamos o quanto isso foi importante para elas, vale todo o esforço. É realmente gratificante”, completa.

Jurandir Muniz Júnior, usa camiseta laranja da Fundação Telefônica Vivo
“Além da satisfação de trabalhar em uma empresa que disponibiliza um dia de trabalho em prol da comunidade, é poder unir esforços com seus amigos e colegas, diz Jurandir Muniz Júnior, ao lado esquerdo da foto

 



Deixe uma resposta aqui