Grêmio escolar consegue mesa de ping-pong para escola pública

22 de dezembro de 2017
mesa de ping-pong na escola pública Maria Luíza Fornasier Franzin

Alunos da EMEF Maria Luíza Fornasier Franzin se articularam com Secretaria de Educação e Prefeitura de Águas de São Pedro (SP)

Os recreios da escola EMEF Maria Luíza Fornasier Franzin estão diferentes. Entre o som de crianças rindo e correndo, é possível ouvir o quicar de bolas contra uma mesa e os uivos de comemoração a cada ponto adquirido. Em agosto de 2017, o pátio da escola em Águas de São Pedro, interior de São Paulo, ganhou uma mesa nova de ping-pong. Mas a grande conquista não foi a mesa, ainda que ela traga muita diversão aos alunos do ensino fundamental, mas sim o fato de que sua vinda só foi possível com uma parceria sólida entre a Secretaria de Educação, Prefeitura e, principalmente, a articulação dos estudantes do grêmio escolar.

A EMEF Maria Luíza Fornasier Franzin é uma das seis escolas parceiras do programa Inova Escola, da Fundação Telefônica Vivo. Conheça mais sobre as instituições que recebem apoio pedagógico e tecnológico no site do projeto.

A participação ativa dos alunos em todos os espaços pedagógicos é uma das razões da EMEF estar em primeiro lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Educação do Brasil. É na escuta atenta às demandas dos jovens do 1º ao 9º ano que se constroem os projetos pedagógicos. Enquanto os educadores transformam-se em mediadores, buscando como complementar a trajetória de aprendizado dos estudantes, estes são os protagonistas. Lá, a tecnologia também está inserida, desde o uso de tablets e até mesmo de celulares. 

Foi esse protagonismo que promoveu, em 2017, a primeira eleição de um grêmio escolar. Os alunos do 6º ao 9º anos se organizaram em chapas, apresentaram pautas de interesse comum aos seus colegas estudantes e promoveram uma eleição.

“O grêmio é uma parceria entre os alunos e a direção. Os estudantes propõem atividades, arrecadam fundos para melhorias e, nesse processo, acabam por conhecer melhor como sua escola é estruturada, estimulando os outros a participarem mais ativamente das decisões pedagógicas”, diz a diretora Zélia Sales.

João Paulo Pontes Ferreira, coordenador pedagógico e responsável por auxiliar o grêmio, conta que assim que a chapa vencedora Corujão assumiu, eles propuseram se articular para conseguir a mesa, ouvindo desejos já antigos dos alunos da escola. “Eles elaboraram um pedido, conseguiram a assinatura da diretora e o encaminharam para a Secretaria de Educação de Águas de São Pedro”, relata.

Os estudantes foram acompanhados por Scheila Fernandez, Secretária de Educação do Município. Durante o encontro, eles perceberam quais caminhos burocráticos o requerimento faz, desde sua aprovação pela área de finanças até conseguir lisura do objeto. “A Secretária explicou porque os trâmites demoram, e os fez acompanhar o processo bem de perto, explicando passo por passo. Os alunos não faziam ideia de como funcionava uma Secretaria, muito menos como eram sessões na câmara”, completa o coordenador.

A ida até um órgão público para entender seu funcionamento fez o grêmio compreender a importância de estar perto das decisões dos políticos locais, que às vezes, parecem tão distantes do cidadão. Entendê-los é uma forma de lutar por seus direitos e atuar ativamente da vida política do município. “Eles agora percebem o poder que tem sua participação, e estão munidos de conhecimento para opinar e falar mais ativamente sobre cidadania”, conclui Zélia.

Foi com festa e com comemoração que o grêmio e os alunos receberam a mesa. Para celebrar a conquista de cidadania, eles armaram um grande campeonato entre alunos, que ainda esperam receber mais uma mesa.

Se hoje a EMEF Maria Luíza Fornasier Franzin é tão bem colocada nos índices educacionais, não é somente devido a um sólido projeto pedagógico, mas, principalmente, porque todo o corpo docente está envolvido na escuta atenta e no trabalho em conjunto com seus estudantes.



Deixe uma resposta aqui