Jornalistas de educação se reúnem em SP para discutir desafios e oportunidades da área

04 de julho de 2017

 

Pessoas na plateia assistem a painel no Jeduca

O 1º Congresso de Jornalismo de Educação foi organizado pela Jeduca, associação de jornalistas de educação com mais de 500 associados em 80 cidades do país.

Ampliar e qualificar a discussão sobre a educação no Brasil por meio do jornalismo. Essa foi a proposta do primeiro congresso voltado ao tema, que ocorreu nos dias 28 e 29 de junho, em São Paulo. O evento, organizado pela Associação de Jornalistas de Educação – Jeduca, reuniu profissionais de comunicação, especialistas, educadores e estudantes todo país.

Segundo Antônio Gois, presidente da Jeduca e colunista de educação do jornal O Globo, embora a educação seja um tema prioritário para o Brasil, a agenda não recebe na mídia a mesma atenção dedicada a outros assuntos, como política e economia. E como agravante, parte da cobertura é feita por profissionais com pouco experiência no tema. “Pode-se dizer que 99% dos profissionais de educação não receberam formação específica para falar sobre a questão” destaca.

A Jeduca é uma associação de jornalistas de educação, criada para apoiar colegas que trabalham com o tema por meio de materiais, guias e reportagens. Além da figura de um editor público, que auxilia gratuitamente repórteres de todo o país, o grupo promove uma rede de contato para troca de ideias e experiências entre jornalistas da área.

Com intuito de mitigar essas dificuldades, além de trazer desafios e oportunidades sobre pautas como o Plano Nacional de Educação (PNE), avaliações, indicadores e tendências da área, o Congresso contou com dois dias de palestras, workshops e reuniões.

Confira os principais destaques do evento, apoiado pela Fundação Telefônica Vivo.

Jornalismo de Educação América Latina

Ainda que sejam vizinhos do Brasil, a realidade de alguns países da América Latina, como Chile e Argentina, são distintas em suas histórias e desafios no campo educacional. Se no Chile a educação é tema prioritário que influencia as eleições, na Argentina o assunto não está presente no debate político. “Embora seja um tema de interesse da população, a educação fica atrás de debates como violência e inflação, que são considerados mais relevantes para o país”, explica o editor do jornal Clarín, Ricardo Braginski.

Já a jornalista chilena Elizabeth Simonsen conta que após os movimentos estudantis no Chile, a partir de 2006, novos atores surgiram e os meios de comunicação tiveram de criar seções e editorias especializadas para cobrir a agenda. Hoje, questões como gratuidade e fim do lucro na educação estão entre os principais pontos de pauta no país.

Educação em tempos de incerteza

“No momento da crise, mostramos quais as prioridades do país, e educação precisa ser uma delas.” A fala de Priscila Cruz, do Movimento Todos Pela Educação, resume o sentimento dos convidados da mesa sobre o futuro da educação no Brasil, da qual também fizeram parte Daniel Cara, coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação; Aléssio Costa, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e Idilvan Alencar, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

O impacto da instabilidade política e econômica na educação foi trazido como motivo de preocupação para os convidados. “A educação normalmente é vista como um insumo para o debate econômico e deveria ser o contrário”, afirma Daniel Cara.

Os convidados aproveitaram o debate para reforçar a importância do papel da imprensa neste cenário e pediram aos jornalistas que invistam em conteúdos mais analíticos sobre os fatos, em prol de fortalecer o debate do PNE.

Idilvan Alencar, presidente do Consed; Aléssio Costa, presidente da Undime; Daniel Cara, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação; Priscila Cruz, do Movimento Todos Pela Educação; Antonio Gois, da Jeduca.
Idilvan Alencar, presidente do Consed; Aléssio Costa, presidente da Undime; Daniel Cara, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação; Priscila Cruz, do Movimento Todos Pela Educação; Antonio Gois, da Jeduca.

Educação Infantil

Para discutir o acesso e qualidade na educação infantil em um cenário de desigualdade social, o evento reuniu as especialistas em educação infantil Sharon Lynn Kagan, da Universidade de Columbia (EUA), Cisele Ortiz, do Instituto Avisa Lá e Sandra Zakia, da Universidade de São Paulo (USP).

“Temos uma nova geração de crianças e novas ferramentas tecnológicas, mas o que estamos fazendo com elas?”, questionou Sharon Lynn. A especialista destacou três pensamentos que precisam ser incorporados pela sociedade: crianças são aprendizes competentes, têm direitos iguais e vivem em contextos complexos e diferentes uma das outras.

De acordo com a professora Sandra, o Brasil é bem consistente em termos de metas e marcos legais voltados à educação infantil, mas que ainda não se aplicam à realidade. “Nosso grande desafio é fazer valer os direitos que já estão previstos por lei, colocando as avaliações a serviço de promover a qualidade da educação infantil”.

Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

A discussão em torno da BNCC reuniu o presidente do Conselho Nacional de Educação, César Callegari, a ex-presidente da Undime, Cleuza Repulho, e o pesquisador Paulo Carrano em um debate que encerrou as atividades do primeiro dia de evento.

Para Callegari, a Base precisa ser vista além da questão curricular e mais como uma diretriz apoiada pela legislação brasileira, que pode assegurar uma educação de qualidade para todos. Já a ex-presidente da Undime ressaltou a importância de opiniões contrárias e sobre os pontos de melhoria na Base, pois imagina grandes desafios para sua implementação.

“É necessário um pacto nacional, entre todos os atores envolvidos do tema. Conversar sobre o que falta e fazer o tema chegar à sala de aula, até encontrarmos uma solução democrática que valha a pena”, conclui a pedagoga.

O 1º Congresso de Jornalismo de Educação ainda contou com palestras específicas sobre grandes reportagens na educação, reforma do Ensino Médio, bases de dados, indicadores e financiamentos para a educação básica no Brasil. No site da Jeduca você confere a cobertura completa dos painéis do Congresso.

 

Confira abaixo galeria de fotos do evento.


Leia também:



Deixe uma resposta aqui