Jovens criam dispositivo para situações de emergência com idosos

02 de maio de 2017
Klaus Holler e Luiz Perez Fruscaldo , ao lado do educador Elmar Corrêa criaram o Demape – Dispositivo Eletrônico de Monitoramento e Assistência para Emergências.

Klaus Holler e Luiz Perez Fruscaldo , ao lado do educador Elmar Corrêa criaram o Demape – Dispositivo Eletrônico de Monitoramento e Assistência para Emergências.


Ganhador de prêmio da Fundação Telefônica Vivo, o dispositivo Demape é destaque em feira na Espanha

A tecnologia e a engenharia eletrônica como caminhos para solução de questões sociais. Essa é a missão da disciplina de projetos no curso Eletrotécnica da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, em Nova Hamburgo (RS).  Entre emaranhados de fios, os jovens Klaus Holler, de 18 anos, e Luiz Perez Fruscaldo, de 19, escolheram realizar um projeto baseado em uma demanda local: pessoas com dificuldades de mobilidade, como idosos, alertavam sobre a impossibilidade de comunicação em caso de emergências e acidentes.

Para um grande problema, uma pequena solução eletrônica. Sob a orientação do educador Elmar Corrêa, os rapazes utilizaram uma placa eletrônica para criar um protótipo do tamanho de um porta-joias (10x15x10cm), o Demape – Dispositivo Eletrônico de Monitoramento e Assistência para Emergências.

“Ele tem um sistema de detecção de emergências. Caso a pessoa se acidente ou passe mal, ela pressiona um botão, e o dispositivo irá comunicar a localização do paciente por meio de um aplicativo gratuito. Ele também identifica quedas. Caso o usuário caia, ele capta o movimento e manda um pedido de socorro”, explica Klaus. 

Para Luiz, o baixo custo de manutenção do dispositivo e o app são os diferenciais. “Esse aplicativo funciona em qualquer smartphone e o Demape não tem custos depois de adquirido”. A funcionalidade do aparelho já foi testada, e ele está em fase de aprimoramento.

Os estudantes usaram na produção do dispositivo o Arduíno, uma placa de prototipagem eletrônica de hardware livre, que facilita o acesso à robótica
Os estudantes usaram na produção do dispositivo o Arduíno, uma placa de prototipagem eletrônica de hardware livre, que facilita o acesso à robótica

Quando foram convidados a apresentar o trabalho na Mostratec Júnior 2016, evento em Nova Hamburgo que reúne trabalhos científicos de jovens estudantes, Klaus e Luiz não esperavam a repercussão que o Demape acabou gerando.

Entre os 220 projetos da feira, que cresce em número e importância a cada ano, o dispositivo foi um dos ganhadores do prêmio da categoria Linguagem de Programação e Robótica da Fundação Telefônica Vivo, apoiadora do evento.

Ser premiado na Mostratec significou mais uma oportunidade de exposição para o Demape, só que dessa vez do outro lado do oceano. Klaus, Luiz e Elmar embarcaram para Barcelona, na Espanha, para participarem da feira Exporecerca Jovem entre os dias 6 e 8 de abril.

Lá, os brasileiros ficaram em segundo lugar na categoria de projetos internacionais. “Foi uma grande experiência!”, relembra Luiz. “Tivemos contatos com jovens da Europa e Ásia, que contribuíram muito com o trabalho dando críticas e sugestões. Acho que o mais legal da feira é que ela é organizada por jovens como nós”.

O orientador, Elmar, não poderia estar mais orgulhoso de seus alunos. “Sempre fico feliz em orientar projetos, mas Klaus e Luiz tiveram um empenho e garra que mostra que estamos no caminho certo”, diz.

Ele também conta que aplicar a metodologia de projetos em sala de aula, unindo teoria e prática, faz os alunos se aproximarem do mercado de trabalho e, assim, descobrirem suas aptidões e como melhor usá-las para o futuro profissional.
Depois de uma experiência tão transformadora e com a perspectiva de que ela realmente incida na vida das pessoas, os dois jovens querem continuar a trilhar os caminhos da engenharia: enquanto Klaus pensa em continuar com a criação de projetos com utilidade pública, Luiz tem o sonho de se aperfeiçoar ao ingressar na graduação de engenharia de produção.

Leia também:



Deixe uma resposta aqui