Jovens empreendedores de ETECs se inspiram em metas da ONU

02 de março de 2018

Participantes do Pense Grande criaram projetos baseados em Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Três jovens empreendedores das ETECs sentados em uma mesa com papeis coloridos

Em setembro de 2015, líderes mundiais reunidos na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, traçaram um plano para, até 2030, erradicar a pobreza, proteger o planeta e garantir a paz, por meio de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  Desde 2016, jovens de Escolas Técnicas Estaduais (ETECs) de São Paulo, participantes do programa Pense Grande, da Fundação Telefônica Vivo, tomaram contato com essas metas e as usaram como ponto de partida para o que mais queriam: mudar o mundo.

Os ODS foram utilizados como referência para que os 683 estudantes de 23 escolas técnicas que passaram pelo programa entre 2016 e 2017 olhassem para suas comunidades a partir de uma perspectiva global.

Por meio dessa metodologia, os jovens puderam relacionar as questões que queriam abordar em seus projetos de empreendedorismo social aos eixos temáticos apontados como prioritários pela ONU, da erradicação da pobreza à água potável e saneamento; da igualdade de gênero às mudanças climáticas.

“Os ODS não são uma agenda apenas da ONU e dos governos, mas de todos os setores. Todos os indivíduos podem e devem colaborar.”
Haroldo Machado Filho, assessor da ONU

O programa, que começou nas ETECs como um protótipo em 2016, chegou à sua terceira edição entre as escolas técnicas no final de 2017. Cada uma das turmas participou de oficinas, mentorias e encontros de integração ao longo de um semestre. Após meses de preparação, 44 projetos participaram dos demodays – dia de apresentação, em inglês – ao longo de 2017.

Haroldo Machado Filho, assessor sênior no Brasil do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), esteve na apresentação do primeiro grupo de ETECs a participar do Pense Grande. Referência da ONU para o acompanhamento dos ODS no país, ele se disse surpreso com os pitches dos alunos – apresentações curtas, de no máximo cinco minutos, para potenciais investidores.

“Vi os jovens bem motivados, com conhecimento bastante aprofundado sobre os ODS, dispostos a aumentar a escala de seus projetos e fazer a diferença não só na sua localidade, mas no Brasil”, disse Machado.

Jovens empreendedores das ETECs

Ao desenvolverem seus empreendimentos, os grupos foram convidados a olhar seu entorno para além dos obstáculos, incorporando a perspectiva de desafios e oportunidades. Nesse processo, identificaram atores locais, potenciais parceiros e as necessidades do público-alvo.

“É uma oportunidade maravilhosa atuar em algo em que somos diretamente afetados”, disse Larissa Santos, de 16 anos, da ETEC Juscelino Kubitschek, em Diadema, na Grande São Paulo.

Larissa e outros quatro colegas desenvolveram o projeto Box Cult, um dos oito destaques da terceira etapa do Pense Grande nas ETECs, no segundo semestre de 2017.

A iniciativa, que se relaciona ao ODS 4 (Educação de Qualidade) consiste em uma caixa com conteúdos de culturas especificas (negra, nordestina, oriental) enviada para escolas públicas para que trabalhem esses temas com alunos do Ensino Fundamental.

Marcos Oliveira, de 16 anos, da ETEC Pirituba, optou por abordar o ODS 5: Igualdade de Gênero. Ele criou o aplicativo Empaixão, que mapeia espaços seguros para populações sujeitas à violência, como mulheres e grupos LGBT. “Sempre gostei de discutir preconceitos, principalmente ligados à sexualidade. O Pense Grande e os ODS foram a chance que eu precisava”, diz o jovem, também premiado entre os oito projetos de destaque na terceira edição.

Integração e difusão

Apesar de cada um dos projetos apresentados ter mais proximidade com algum objetivo de desenvolvimento específico, Haroldo Machado frisa a importância de se ter uma visão global sobre as metas. “Não gosto de pensar os ODS em caixinhas separadas. Sem uma ação integrada, como um quebra-cabeça, você não atinge um processo de desenvolvimento sustentável”, observa.

O assessor do Pnud aponta também a importância de os ODS serem, nas suas palavras, “uma agenda viva”, que sai do papel e atinge diferentes públicos,  principalmente as novas gerações. “É fundamental envolver os jovens. Se estamos falando da Agenda 2030, falamos de quando esses jovens estarão plenamente ativos e protagonistas na sociedade.”

Programa Pense Grande nas Etecs é resultado de uma parceria da Fundação Telefônica Vivo com o Centro Paula Souza, responsável pela administração das escolas, e conta com o apoio do Impact Hub como parceiro executor. Em 2017, a iniciativa ganhou um reforço especial do programa de voluntariado da Telefônica Vivo.

Leia também:



Deixe uma resposta aqui