Jovens estudantes de ETECs apresentam projetos inovadores em evento em São Paulo

13 de julho de 2017
Três jovens parecem pensar sobre o que é Pensar Grande, frase escrita em uma lousa

Confira como foi o encerramento da segunda edição do Programa Pense Grande que agregou sete escolas técnicas de São Paulo

Foram 240 jovens participantes, 50 projetos, sendo 17 finalistas, e 4 destaques vencedores. Os números apenas reforçam o sucesso do 2º ciclo de formação do Programa Pense Grande em sete Escolas Técnicas de São Paulo (Etecs).

Confira as Etecs participantes da 2ª edição do Pense Grande:

Abdias do Nascimento (Paraisópolis, zona sul), Tereza Aparecida Cardoso Nunes de Oliveira (Arthur Alvim, zona leste), Jorge Street (São Caetano, Grande SP), Juscelino Kubitschek de Oliveira (Diadema Grande SP), Heliópolis (Zona Sul, SP), Itaquera (Zona Leste, SP,) e São Mateus (Zona Leste, SP).

Para celebrar o encerramento do programa foi realizado o Demoday, evento que aconteceu no dia 8 de julho na ETEC Abdias do Nascimento, em Paraisópolis, zona sul de São Paulo.

Demoday é a junção de duas palavras em inglês, que em português significam dia da demonstração, e na ocasião, os jovens idealizadores dos 17 projetos selecionados para a final tiveram a oportunidade de apresentar suas ideias criativas, inovadoras e de impacto social para uma banca de jurados convidados, além de uma plateia de amigos, familiares, voluntários e educadores.

“É incrível participar como jurado porque agora eu posso ver o projeto que desenhamos lá atrás tomar forma na fala dos jovens. Passar por um programa deste tipo não quer dizer que eles necessariamente se tornarão empreendedores, mas só o fato de desenvolverem novas habilidades e experimentarem o protagonismo, amplia possibilidades”, comenta João Vitor Caires, diretor do Impact Hub, parceiro executor da iniciativa.

Os destaques ficaram por conta dos projetos Recicla Go, aplicativo que localiza e recolhe materiais para reciclagem, de Paraisópolis, em São Paulo; Art Aqui, app que reúne as manifestações artísticas e culturais do bairro de Itaquera, em São Paulo; E agora?, de São Caetano (SP), app para tirar dúvidas sexuais de jovens de 15 a 19 anos, e o grande premiado: um aplicativo voltado para deficientes físicos, que traz as escolas adaptadas a este público, o Integra Mais, do bairro de São Mateus, em São Paulo.

  • ETEC Abdias do Nascimento, em Paraisópolis, zona sul de São Paulo.
    ETEC Abdias do Nascimento, em Paraisópolis, zona sul de São Paulo.
  • Jovens participantes do evento
    Jovens participantes do evento na ETEC Abdias do Nascimento, em Paraisópolis
  • Estudantes participam de reunião com jurados após apresentação dos pitches
    Estudantes participam de reunião com jurados após apresentação dos pitches
  • Equipe do E agora?, de São Caetano (SP), app para tirar dúvidas sexuais de jovens de 15 a 19 anos
    Equipe do E agora?, de São Caetano (SP), app para tirar dúvidas sexuais de jovens de 15 a 19 anos
  • Estudantes premiados pelo Art Aqui e Recicla Go
    Estudantes premiados pelo Art Aqui e Recicla Go
  • Grupo que desenvolveu o app Integra Mais, voltado para deficientes físicos, que traz as escolas adaptadas a este público, do bairro de São Mateus, em São Paulo.
    Grupo que desenvolveu o app Integra Mais, voltado para deficientes físicos, que traz as escolas adaptadas a este público, do bairro de São Mateus, em São Paulo.
  • Equipe das ETECs
    Equipe das ETECs com os estudantes premiados
  • Voluntários do Grupo Telefônica, equipe das ETECs e do ImpacHub
    Voluntários do Grupo Telefônica, equipe das ETECs e do ImpacHub
  • Jurados que avaliaram os pitches dos estudantes
    Jurados que avaliaram os pitches dos estudantes

“Queríamos muito ganhar, mas tínhamos dúvidas se seríamos capazes. Foi uma grande alegria saber que nossa ideia é aplicável e agora queremos dar continuidade”, conta um dos idealizadores do projeto vencedor, Gustavo Gonçalves, estudante do 2º ano de informática da Etec São Mateus.

Para o professor Monteiro, coordenador do projeto pelo Centro Paula Souza e um dos convidados da banca, o trabalho realizado por todos os grupos é motivo de comemoração.

“Todos saem vencedores, pois além dos projetos, eles aprenderam a trabalhar em equipe e desenvolver competências empreendedoras. Esperamos dar continuidade a essa iniciativa, que já está fazendo a diferença nas Etecs”, comenta o professor.

O programa

O Programa Pense Grande nas Etecs é resultado de uma parceria da Fundação Telefônica Vivo com o Centro Paula Souza, responsável pela administração das escolas, e conta com o apoio do Impact Hub como parceiro executor.

Focado em empreendedorismo social na juventude, o Pense Grande realizou pela segunda vez oficinas em escolas técnicas de São Paulo, ao longo de seis meses, com o intuito de fomentar a cultura empreendedora nos estudantes por meio de vivências que aliem teoria e prática. Neste ano, a iniciativa ganhou um reforço especial do programa de voluntariado da Telefônica Vivo. Colaboradores de diversas áreas do grupo receberam formações para serem mentores voluntários e semanalmente participam de encontros com os jovens das Etecs.

“Fiquei muito empolgada com a possibilidade de ajudar os estudantes a tirarem suas ideias do papel. Ver o engajamento dessa juventude é o maior aprendizado que levarei dessa experiência”, conta a voluntária do Programa e colaboradora da Telefônica Vivo, Aline Azevedo.

Ao longo do primeiro semestre de 2017, foram 14 oficinas presenciais, além de mentorias nos grupos e encontros de integração com os estudantes das ETECs.

Leia também:



Deixe uma resposta aqui