Líderes de todo Brasil participam de Encontro de Governança do Programa de Voluntariado 2017

03 de julho de 2017
Voluntários do Grupo Telefônica posam para foto sorridentes

Colaboradores de 38 comitês trocaram experiências e participaram de formações sobre como melhorar a governança e o impacto social dos projetos desenvolvidos

“Essa sala representa nossa companhia. Todas as áreas da empresa estão aqui. Quem faz todo o Programa de Voluntariado são os colaboradores. Para mim é motivo de orgulho participar”,

Americo Mattar, presidente da Fundação Telefônica Vivo

Cerca de 60 colaboradores do Grupo Telefônica Vivo de todo o Brasil se reuniram em São Paulo nos dias 23, 24 e 25 para o 5º encontro anual de governança do Programa de Voluntariado. Os objetivos da reunião foram a troca de experiências e a formação das lideranças responsáveis por gerir as ações de Norte a Sul do país.

Durante os três dias de evento, líderes de comitês e Embaixadores regionais compartilharam histórias inspiradoras, se emocionaram e receberam formações importantes para que os projetos desenvolvidos tenham maior impacto social. De Santarém, no Pará, a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, eles mostraram boas práticas, expuseram seus desafios, conquistas, e participaram de dinâmicas destinadas a aperfeiçoar três eixos principais: cidadania, governança e ferramentas de inovação e tecnologia.

Nos encontros, foi apresentado o cronograma e as metas do programa foram consolidadas, incluindo as ações do Dia dos Voluntários, que será realizado em 20 de outubro no Brasil e em mais 31 países. O Programa de Voluntariado é realizado desde 2005 no Brasil e contou com 350 colaboradores envolvidos nos comitês no ano passado. Inclui entre suas atividades principais, além do Dia dos Voluntários, o Vacaciones Solidarias, o Game do Bem e as Ações Locais.

Em 2017, o Dia dos Voluntários, uma das iniciativas do Programa de Voluntariado, acontecerá no dia 20 de outubro, em 40 cidades e com a previsão de atender 51 ONG’s

O presidente da Fundação Telefônica Vivo, Americo Mattar, esteve no encontro de governança e deu um relato emocionado aos colaboradores sobre o poder de transformação pessoal e profissional do voluntariado.

“A importância do programa de voluntariado é intrínseca ao nosso funcionamento. A Fundação representa a alma da nossa companhia”, disse. “Esse é o grande espírito: quando cada um melhora a si próprio em função desse contato, melhora também o seu entorno dentro da nossa empresa”.

Líderes, responsáveis por comitês nas cidades, e Embaixadores regionais, que administram comitês em um ou mais estados, falaram sobre os benefícios do engajamento no programa. Em primeiro lugar, porque as ações promovidas nas instituições neste ano devem beneficiar cerca de 60 mil pessoas, 20 mil a mais do que em 2016; em segundo lugar, porque despertaram uma nova visão sobre o próprio trabalho no dia a dia.

“O programa promove a integração. Os voluntários ampliam sua gama de contatos e passam a ter uma visão sistêmica. Entendem como funcionam outras áreas”, diz Alessandra Ewerton, uma das Embaixadoras da região Norte II e consultora de telecomunicações. Voluntária desde 2011, ela lembra que, em 2016, depois de uma ação em uma ONG que atende crianças com surdez, os colaboradores aprenderam Libras e ficaram mais atentos ao atendimento a pessoas com deficiência no cotidiano.

box-depoimentos-final

Muitos participantes também mencionaram o fato de que as atividades dentro programa de voluntariado muitas vezes invertem os papéis hierárquicos: assistentes, que não têm cargo de gestão na empresa, acabam se tornando gestores dos próprios superiores. “O trabalho voluntário me faz brilhar os olhos e me motiva. Eu faço gestão de projeto, tenho metas a cumprir, faço gestão de pessoas e lidero equipe, por mais que eu não tenha cargo de liderança na minha área”, resume Maria Tereza Henrique da Silva, de 29 anos, analista de Recursos Humanos em Goiânia e Embaixadora da região Centro-Oeste II. Ela possui quatro estados sob sua responsabilidade – Acre, Goiás, Tocantins e Rondônia – e apoia os líderes dos comitês locais.

A interação entre pessoas com diferentes níveis de experiência foi outro ponto forte do encontro. Atualmente, 42% dos líderes assumiram seus comitês neste ano e puderam receber os conselhos de outros líderes e Embaixadores com mais de dez anos de participação nas atividades do Programa de Voluntariado.

Americo Matar fala com conversa com voluntários do grupo

Leia também:



Deixe uma resposta aqui