Municípios de Sergipe recebem o projeto Aula Digital de inovação na educação

27 de julho de 2017
Professores e gestores posam para foto após receberem formação do projeto Aula Digital, em Sergipe

Mais de mil quilômetros foram percorridos para sensibilizar gestores, diretores e coordenadores pedagógicos de como o projeto pode melhorar a qualidade de ensino. 

Desde a capital Aracaju, com mais de 600 mil habitantes, ou Gararu, município banhado pelas águas claras do Rio São Francisco, até a cidade histórica de São Cristóvão, Sergipe abriga uma grande variedade de cidades e realidades escolares. E o que hoje une esses municípios a mais 25 é a parceria fechada entre a Secretaria Estadual de Educação (SEED) e a Fundação Telefônica Vivo para levar o projeto Aula Digital a mais de 18.000 alunos e 775 educadores de 310 escolas.

O Aula Digital, uma iniciativa da Fundação Telefônica com a Fundação Bancária La Caixa, da Espanha, atuará nos municípios sergipanos oferecendo formação a professores, conteúdos pedagógicos digitais, equipamentos tecnológicos e acompanhamento escolar.

Dos dias 13 a 19 de julho, representantes do projeto percorreram mais de mil quilômetros entre Aracaju, Itabaiana, Itabaianinha, Simão Dias, Nossa Senhora das Dores e Gararu para explicar como o projeto irá atuar aos gestores, diretores e coordenadores pedagógicos desses municípios e também de outras cidades participantes.

O coordenador do projeto no Brasil, Rubem Saldanha, fala com professores e gestores do projeto Aula Digital
O coordenador do projeto no Brasil, Rubem Saldanha

Essa sensibilização é importante para esclarecer dúvidas e tornar mais clara a comunicação entre o projeto e quem irá executá-lo. Daniel Santos de Sá, diretor da Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju, acredita que esse é o momento ideal para abraçar a tecnologia. “Os alunos a vivenciam com força, e muitas vezes os educadores não conseguem dar conta disso”. Ele complementa que o projeto irá agregar a algumas atividades já realizadas na escola, como projeto Soletrando, que envolve leitura e escrita.

Para acompanhar a etapa de formação de professores, o Instituto Paramitas também irá atuar em conjunto com a Fundação Telefônica Vivo, como parceiro executor. Desde 2009 o Paramitas trabalha com empoderamento digital, oferecendo não somente a familiarização com o uso de tecnologia, mas a direcionando para melhoria de processos pedagógicos. Isso será especialmente importante para Cristiane da Silva Costa, coordenadora em Aracaju da EMEF Maria da Glória Macedo, que acredita que a tecnologia pode ser um desafio para os educadores. “Será um trabalho em equipe para desenvolver competências e habilidades nessa área”.

Nos menores municípios, os gestores também estão ansiosos para entender como essa inovação ajuda a resolver problemas específicos de suas regiões. Em Areia Branca, a coordenadora Alexandra Rocha Barreto Maciel, da escola Célia Franco da Costa Prado quer aproveitar o potencial digital para incentivar a leitura e a escrita, áreas que ela sente dificuldade em tornar atraentes para os alunos. “Esse projeto traz uma inovação muito importante para nossa região, e deve ser levado enquanto compromisso sério. Além dos alunos, ele também vai impactar a comunidade”.

Há coordenadores também animados para estender o potencial do projeto para problemas maiores que atingem Sergipe como um todo, como a evasão escolar. “Temos dificuldade em atrair novos alunos, e acredito que o Aula Digital possa nos ajudar a inovar ainda mais nossas práticas pedagógicas”, conta Valéria Maria Correia, representante da  Escola Municipal Dr Lourival Batista, em São Cristóvão.

O término da etapa de formação dos educadores será marcado pela entrega de kits tecnológicos para as escolas participantes. A maleta contém um notebook e roteador para uso do educador, tablets para os alunos, além de projetor e tela de projeção. “Foi muito legal que a Fundação conhecer a estrutura da nossa escola e quis construir esse projeto com a gente. Vai ser um acréscimo positivo a todo trabalho que a rede de ensino vem fazendo”, diz Daniel, da escola Rodrigues Dórea.

  • Ponte Aracaju-Barra dos Coqueiros, em Aracaju, Sergipe
    Ponte Aracaju-Barra dos Coqueiros, em Aracaju, Sergipe. Educadores da capital receberam formação sobre o projeto Aula Digital
  • Vista da cidade de Aracaju, Sergipe. Prédios aparecem ao fundo da imagem
    Vista da cidade de Aracaju, Sergipe.
  • Estudantes com mochilas aparecem entrando na Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju
    Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju
  • Pátio da Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju
    Pátio da Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju, onde aconteceu formação de educadores para o projeto Aula Digital
  • Alunos da Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju, posam sorrindo para a foto
    Alunos da Escola Estadual Rodrigues Dórea, em Aracaju
  • Professor em sala de aula da Escola Estadual Rodrigues Dórea
    Professor em sala de aula da Escola Estadual Rodrigues Dórea
  • Entrada da Escola Rural Povoado Cabrita, da cidade histórica sergipana de São Cristóvão
    Entrada da Escola Rural Povoado Cabrita, da cidade histórica sergipana de São Cristóvão
  • Duas educadoras dão aula na Escola Rural Povoado Cabrita. Uma está sentada, a outra em pé sorrindo
    Educadoras em sala de aula da Escola Rural Povoado Cabrita
  • Três estudantes correm pela grama e se divertem
  • Estudantes da Escola Rural Povoado Cabrita, que recebeu formação do projeto Aula Digital
    Estudantes da Escola Rural Povoado Cabrita, que recebeu formação do projeto Aula Digital
  • Centro histórico da cidade de São Cristóvão, em Sergipe. A rua é de paralelepípedos e há casões antigos
    Centro histórico da cidade de São Cristóvão, em Sergipe. Educadores da região receberam formações sobre o projeto Aula Digital
  • Praça São Francisco, na cidade histórica de São Cristóvão, em Sergipe
    Praça São Francisco, na cidade histórica de São Cristóvão, em Sergipe

Leia também:



Deixe uma resposta aqui