Os caçadores de garrafas perdidas: casal transforma plástico em pranchas de surf

30 de novembro de 2017

 

prancha-ecológica

Eco Garopaba leva conscientização ambiental e incentivo ao esporte a adultos e crianças

Resolver várias questões em um único projeto. Esta é apenas uma das façanhas da turma da Eco Garopaba, associação que leva o nome de sua cidade sede, no litoral de Santa Catarina.

Criada pelo casal Carolina e Jairo Lumertz, a iniciativa tem como missão conscientizar as pessoas da necessidade de preservação do meio ambiente, da redução na produção diária de lixo e sua correta destinação, da reutilização e reciclagem de materiais, além de incentivar a prática esportiva e a inclusão social por meio do surf. E eles fazem tudo isso a partir de uma invenção de Jairo, gaúcho e surfista desde os 11 anos de idade: uma prancha feita de garrafas pet.

Em uma experiência no Havaí, em 2007, Jairo teve a ideia de desenhar a prancha com o uso destes materiais. Foi ao ver garrafas de plástico boiando no mar que pensou como poderia tirá-las dos oceanos. Quando retornou ao Brasil, em 2011, e conheceu Carolina, criou o Prancha Ecológica, que hoje é apenas uma das vertentes da Eco Garopaba. Desde 2012, o projeto já chegou a mais de 40 cidades brasileiras, envolvendo 20 mil crianças.

prancha-ecológica-Jairo Lumertz
Jairo Lumertz

Onda de sustentabilidade

De lá para cá, a dupla desenvolveu uma parceria com a Prefeitura de Garopaba e começou a capacitar professores para o reaproveitamento de resíduos, além de receber escolas e realizarem um trabalho para atender a comunidade. “As nossas palestras são voltadas para a reciclagem, então conseguem atingir um grande número de protetores ambientais, que chamamos de exército de defensores do planeta”, dizem.

E é da própria comunidade que vem o material utilizado para a confecção das pranchas. “Dizemos que somos caçadores de garrafas pets”, conta Carolina, “e os moradores já nos trazem porque sabem que estamos sempre procurando”. Eles calculam que já transformaram 15 mil garrafas em pranchas, e ainda criaram um modelo para pessoas com deficiência a partir do pedido de um morador da cidade.

Como se não bastasse, em junho de 2017, eles saíram de Garopaba e levaram a prancha como ferramenta para falar dos problemas que o lixo causa no planeta a mais de 5.000 crianças de 18 cidades em quatro Estados brasileiros. A ideia agora é lançar um livro e um documentário sobre o projeto.

O sucesso da Prancha Ecológica é tanto que já surfou nas ondas de Israel, Argentina, Peru, Chile, México, Nova Zelândia, Indonésia, Austrália, França, Inglaterra, Portugal e Tailândia.

 

prancha-ecológica-ong

Prancha ecológica

O espírito empreendedor do Jairo não para por aí. Shaper profissional, ele fabrica pranchas no modelo tradicional e ainda lançou um novo composto por 60% de material reciclado. A criação e consertos de pranchas é uma das formas como o casal se mantém financeiramente, visto que por enquanto apenas uma empresa contribui para as despesas da Associação.

Carol também concilia as atividades da organização com trabalhos de fotografia e venda de produtos feitos de fibras de garrafas pet. O carinho e zelo com a iniciativa transbordam quando os dois contam do projeto. “Queremos entrar em todas as escolas do mundo para levar esta mensagem positiva de amor e de cuidado com a natureza”, finaliza Carol.

prancha-ecológica-onda


Leia também:



Deixe uma resposta aqui