Publicação Inova Escola auxilia professores que desejam promover mudanças em sala de aula

17 de novembro de 2016
Imagem mostra cinco garotos sorrindo em frente a um computador

Capítulo “Papel do Professor” do livro aponta para a importância do educador na inovação do ensino tradicional.

Do latim “innovare”, que quer dizer “renovar, mudar”, o conceito de inovação está presente em nosso dia-a-dia. Afinal, inovar nada mais é do que buscar novas ideias para tornar processos que já existem mais eficazes. Nesse sentido, a inovação também precisa estar presente nas escolas. Sabendo disso, a Fundação Telefônica Vivo e o  Instituto Natura, em parceria com o LABi – Laboratório de Inovação Educacional, desenvolveram a publicação Inova Escola.

No livro, a inovação educativa é apresentada por meio de histórias de pessoas, que, dentro de escolas em diferentes partes do mundo, arregaçaram as mangas e decidiram impactar de forma positiva o aprendizado dos alunos.

Disponível para download, a publicação traz relatos de representantes de 30 instituições que participaram de pesquisas presenciais e online para expor suas propostas. O leitor tem a oportunidade de viajar por um universo de iniciativas educacionais, podendo entender melhor como colocar em prática ações simples, mas que fazem total diferença no ensino dos alunos.

Um dos capítulos que merece destaque é o “Papel do Professor”, que ressalta a importância da figura do educador para o aprendizado: “Pode até parecer redundante, mas é sempre bom reforçar que o professor é peça-chave para impulsionar qualquer tipo de mudança em busca de uma educação de qualidade”. De acordo com a publicação, a atuação dele em sala funciona como um impulso para que as mudanças aconteçam. É ele o responsável por colocar em prática e observar pontos positivos e negativos que podem ser trabalhados da melhor forma dentro das instituições.

Com depoimentos de quem realmente faz acontecer, motivação é algo que não falta no material. Para quem deseja dar os primeiros passos na inovação do ensino, a professora Claudia, atuante na EMEF Zeferino Lopes de Castro, que faz parte do projeto de Escolas Inovadoras, de Viamão (RS), conta como uma atitude simples pode ser transformadora: “Eu simplesmente falava, passava a matéria no quadro, explicava e pronto: ‘Entenderam? ’. E acabou ali. Hoje eu estou preocupada em sentar com o estudante e falar de forma que ele entenda, quero mergulhar na cabeça dele’’, diz.

Para os interessados em entender mais sobre como superar as barreiras educacionais, o Inova Escola também lista pontos que podem ser melhorados na rotina escolar. Além disso, traça caminhos importantes a serem seguidos, tendo em vista que, com a tecnologia fazendo parte da vida dos estudantes, tudo se tornou mais rápido e acessível. Assim o educador se tornou um curador de informação e conhecimento, atuando como um facilitador do conhecimento.



Deixe uma resposta aqui