Quatro habilidades que o pensamento computacional ajuda a desenvolver

13 de novembro de 2019

Você já ouviu falar em pensamento computacional? Trata-se de uma abordagem, cada vez mais em alta no cenário da educação, que utiliza os fundamentos da ciência da computação para identificar problemas e obter soluções para problemas.


Diferentemente do que o nome sugere, o pensamento computacional não exige o uso de computadores, muito menos se restringe ao universo de máquinas e equipamentos eletrônicos. Na verdade, ele parte das disciplinas associadas à ciência da computação como lógica e programação, para ajudar a ordenar o pensamento e solucionar os problemas cotidianos, como explica o professor John Paul Hempel Lima, coordenador acadêmico dos cursos de Engenharia da Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP).

pensamento computacional pode ser trabalhado de diversas maneiras com crianças, jovens e adultos. Para muito além das aulas de informática, permite aprimorar tanto habilidades técnicas quanto soft skills, termo em inglês que se relaciona às competências pessoais, baseadas em aptidões mentais, emocionais e sociais, por meio de experiências, cultura e outros fatores.“Dentro do pensamento computacional, utilizamos o conhecimento técnico e soft skills como criatividade, trabalho em equipe e colaboração”, explica o professor. Essa combinação poderosa de técnica mais aptidões socioemocionais pode ser aplicada tanto em outras disciplinas do conhecimento quanto em outras esferas da vida.

Imagem mostra o professor John Paul Hempel Lima posando para a foto com banners ao fundo
O professor John Paul Hempel Lima, coordenador acadêmico da FIA, elenca quatro habilidades que o pensamento computacional ajuda a desenvolver.

 

Raciocínio lógico

Em geral, associamos o raciocínio lógico apenas à matemática, mas na verdade trata-se de uma capacidade associada a todas as áreas do conhecimento, pois ajuda a organizar o pensamento e, assim, conduzir as ações. O pensamento computacional potencializa o desenvolvimento do raciocínio lógico e outras habilidades ligadas ao pensamento e à solução de problemas do cotidiano.“Essa habilidade é especialmente aproveitada por quem é mais organizado, tem o pensamento mais ordenado, e pode ser aplicada na resolução dos problemas e questões do dia a dia”, afirma o professor.

 

Capacidade de aprendizado

O desenvolvimento de um projeto exige diferentes competências, como a capacidade de análise, intepretação, compreensão de pontos relevantes de uma questão e interconexão de diversos conhecimentos e habilidades, informa o professor. Dentro dessa perspectiva, o pensamento computacional permite exercitar constantemente a capacidade de aprendizado e aplicação de diferentes conhecimentos.

 

Planejamento

O pensamento computacional envolve a capacidade de planejar, executar e gerenciar tarefas, algo extremamente relevante para a vida escolar, acadêmica, pessoal e profissional. “Muito do que fazemos pode ser entendido como um projeto”, afirma o professor. O pensamento computacional colabora para que, ao desenvolver uma determinada ação, seja ela qual for, possamos compreender quais seus objetivos, efeitos, e possíveis formas de controle e acompanhamento, o que traz habilidades extras de planejamento e gestão.

 

Resolução de problemas

A decomposição de problemas, a identificação de padrões, a análise do que é ou não relevante e o estabelecimento dos passos para obter uma solução são aspectos inerentes ao pensamento computacional. “Um software, por exemplo, precisa obedecer a um padrão, não pode funcionar cada hora de um jeito. Há uma série de problemas que precisam ser antecipados ou enfrentados em seu desenvolvimento”, explica o professor John. Essa perspectiva favorece que a criança e o jovem adquiram ferramentas para organizar o pensamento e resolver os problemas que surgirem na sua vida diária com mais eficiência e estratégia.

 



Deixe uma resposta aqui