Retrospectiva 2018: veja o que foi destaque em Empreendedorismo Social

28 de dezembro de 2018

Confira as matérias mais lidas sobre Empreendedorismo Social no site da Fundação Telefônica Vivo.

Imagem mostra uma jovem sorrindo enquanto escreve em um post it – matéria relembra os destaques em empreendedorismo social no site da Fundação Telefônica Vivo em 2018

A vontade de mudar o mundo move cada vez mais pessoas que sonham em ser empreendedoras. E quando se trata de unir propósito com empreendedorismo os jovens saem na frente.

Segundo a pesquisa Juventude Conectada 2018, feita pela Fundação Telefônica Vivo em conjunto com IBOPE Inteligência e Rede Conhecimento, mais de 50% dos jovens associam negócios de impacto com um trabalho que traga benefícios pessoais e para a sociedade. A maioria ainda acredita que é empreender é uma questão de atitude, que vai além de ter o próprio negócio.

Essas e outras percepções foram levantadas pela publicação, que ouviu 400 jovens entre 15 e 29 anos, de todas as classes sociais e regiões do país, além de empreendedores e especialistas da área.

O ano também foi de estreia para novos projetos. Em setembro, foi ao ar o primeiro episódio do Pense Grande.Doc, fruto de uma parceria entre a Fundação Telefônica Vivo e o Canal Futura. A iniciativa traz 26 histórias empreendedoras de sucesso e destaca o protagonismo jovem à frente e por trás das câmeras.

Já em outubro, foram lançados três podcasts voltados para jovens empreendedores.  O Pense Grande Podcast trouxe desabafos, dicas e troca de experiências de quem já iniciou nesse universo e inspira outras pessoas a seguirem o mesmo caminho.

Além do sucesso de mais uma edição do Pense Grande Incubação, em 2018, 2.000 jovens também foram formados pela metodologia do Pense Grande em ETECs e Fatecs do Estado de São Paulo. As melhores iniciativas foram selecionadas, entre 130 projetos, para a disputa do 1º lugar no Demoday, evento que encerrou as formações em grande estilo.

E para completar as boas lembranças, listamos as matérias sobre empreendedorismo social que se destacaram no site da Fundação Telefônica Vivo e no do Pense Grande em 2018. São trajetórias e projetos que fazem a diferença. Relembre essas iniciativas poderosas!

Aplicativo quer facilitar processo de adoção de crianças e adolescentes

 
Família formada por homem, mulher e duas crianças estão sorrindo no alto de um morro com o mar ao fundo – matéria sobre aplicativo que facilita adoção foi destaque em empreendedorismo social em 2018.
 
O Brasil tem mais de oito mil crianças e adolescentes na fila da adoção, segundo dados do Cadastro Nacional da Adoção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e 43 mil possíveis adotantes cadastrados. A divergência entre expectativa e realidade é um dos motivos que ajudam a explicar a demora na formação de novas famílias. Apostando em mudar este cenário, o analista de sistemas Nilson Queiroz, idealizou uma espécie de “aplicativo de relacionamento da adoção”, que une possíveis adotantes às crianças que buscam uma família.

Feira Preta: 17 anos olhando para o afroempreendedorismo

 
Itens como pulseias e colares coloridos estão dispostos em uma bancada – matéria sobre a Feira Preta foi destaque em empreendedorismo social em 2018. 

Adriana Barbosa começou a empreender diante de uma situação de desemprego.  A experiência a fez observar que apesar de negros produzirem e consumirem, muitas vezes não eram eles quem obtinham os recursos. Há 17 anos à frente da  Feira Preta, ela fala sobre afroempreendedorismo e conta como a iniciativa se tornou um espaço para empreendedores e artistas negros, abrigando o debate sobre oportunidades e racismo.

Mãe e filha criam dispositivo que alerta sobre ataques epilépticos

 
Mulher usa dispositivo Epistemic e sorri para a foto – matéria sobre dispositivo que alerta sobre ataques epiléticos foi destaque em empreendedorismo social em 2018.
 

Mais de 50 milhões de pessoas no mundo, das quais cerca de três milhões só no Brasil, têm epilepsia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença inibe atividades importantes, como dirigir ou nadar.  Mas uma dupla brasileira, reconhecida pelo prêmio Cartier Women’s Initiative Awards, está empenhada a mudar isso. A física Hilda Cerdeira, 75, e a engenheira Paula Gomez, 45, mãe e filha, desenvolveram um dispositivo que alerta pacientes e responsáveis sobre um ataque epiléptico com até 25 minutos de antecedência.

Taxista cria bibliotáxi para doar livros e fidelizar clientes

 
Motorista conhecido como Carlos Careca está com um livro na mão posando em frente ao táxi que dirige – matéria sobre o bibliotaxi foi destaque em empreendedorismo social em 2018.
 

Taxista, surfista, catador de lixo de praia, inventor de brinquedos recicláveis, artista plástico, professor voluntário de sustentabilidade, escultor de areia, ativista da leitura e da cultura. Tudo o que faz o cearense Francisco Carlos da Silva, 57, não cabe num texto. Figurinha conhecida em Fortaleza, ele chama a atenção por um projeto para lá de criativo: o bibliotáxi. No porta-malas de seu táxi, Carlos “Careca”, como é conhecido, tem mais de 100 títulos de livros, de ficção a biografias e livros infantis.

Jovens do Pense Grande falam sobre empreendedorismo e propósito

 
Grupo de jovens conversa, é possível ver em primeiro plano o rosto de uma menina de óculos e cabelos curtos e o de outra menina, de cabelos longos e crespos – matéria com jovens do Pense Grande foi destaque em empreendedorismo social em 2018.
 

Empreender como propósito de vida é um dos temas que mais aparecem na fala dos jovens quando se trata de ter o próprio negócio.   A pesquisa Juventude Conectada 2018 trouxe alguns pontos de vista de jovens que se consideram empreendedores. Dos 400 entrevistados, 61% definiram que empreender é ter um propósito. Outros 55% disseram que é conseguir colocar em práticas seus sonhos. Confira mais percepções e conheça a visão dos jovens brasileiros.
 



Deixe uma resposta aqui