Uma festa de fim de ano muito especial

20 de dezembro de 2016
Crianças fazem enfeites de Natal com pinhas

Colaboradores da Diretoria de Assuntos Regulatórios do Grupo Telefônica festeja encerramento de 2016 com crianças da ONG Associação Comunitária Pequeno Príncipe.

Cauê Mota Gonçalves da Silva, de 9 anos, é uma das 100 crianças que frequentam a ONG Associação Comunitária Pequeno Príncipe, localizada em um sítio, em Parelheiros, na zona sul de São Paulo (SP). Em visita dos voluntários do Grupo Telefônica à instituição, no dia 13 de dezembro, o garoto chamou a atenção no discurso de boas-vindas, ao pedir ajuda aos visitantes para a construção de uma quadra esportiva. A fala bem-humorada arrancou risos dos adultos e deu o tom amistoso ao dia muito especial: era a confraternização de fim de ano da equipe de Diretoria de Assuntos Regulatórios.

Tradicionalmente, a empresa disponibiliza uma verba para cada departamento realizar uma festa de fim de ano, mas desta vez o grupo decidiu confraternizar de um jeito diferente. Segundo a Diretora Executiva de Assuntos Estratégicos, Camilla Tapias, um colaborador sugeriu utilizar o tempo e o dinheiro para a atividade beneficente.

“Todos gostaram muito da ideia. É muito gratificante, porque proporciona a integração da equipe e a doação de tempo e alegria. É um momento muito mais feliz que qualquer happy hour”, celebrou a diretora.

O grupo é composto por 67 pessoas, em São Paulo (SP), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR). Na ação de São Paulo, participaram 41 voluntários. Os colaboradores do Rio de Janeiro e de Brasília doaram o valor a Curitiba, que desenvolveu uma ação semelhante na véspera, dia 12.

Logo na chegada, os voluntários receberam um colar com origami de coração. Dentro dele, havia números que dividiram os participantes em equipes para as oficinas de produção de árvores e estrelas de Natal, de biscoitos e organização de hortas, ocorridas no período da tarde.

Mais cedo, liderado pelos pequenos anfitriões, o grupo conheceu as dependências da instituição. Também organizou e precificou as roupas doadas para o bazar da instituição, que recebe semanalmente a comunidade para arrecadar dinheiro.

Para completar a experiência, os voluntários prestigiaram as crianças na troca de faixa do jiu-jitsu e se uniram em torno da mesa, no almoço vegetariano e no café da tarde.

Fundamentada nos princípios da pedagogia Waldorf, a ONG tem como base o desenvolvimento do ser humano, valorizando o pensar, o sentir e o querer. Desde 1993, a Associação Comunitária Pequeno Príncipe recebe crianças no contraturno escolar, em atividades de artes e esportes, proporcionando uma infância saudável.

É com este espírito – revitalizados pela energia das crianças, da Mata Atlântica e de um dia ensolarado de muita doação ao próximo – que os voluntários do Grupo Telefônica retornaram às suas casas.



Deixe uma resposta aqui