UX incrementa o ensino e exercita a resolução de problemas

27 de agosto de 2019

Termo que vem do inglês,userexperience, o conceito de experiência do usuário está em diversas áreas e pode ajudar no ensino e na aprendizagem


O UX, sigla para userexperience ou “experiência do usuário”, é um conceito cada vez mais presente nas áreas de marketing digital e tecnologia. Contudo, as metodologias utilizadas no UX podem ser aplicadas em qualquer campo para melhorar vivências, como por exemplo a educação. Afinal, UX pode ser lido como tudo o que interage ao seu redor.

“Podemos considerar UX um conjunto de elementos e fatores relativos à interação de um usuário com um determinado produto ou serviço”, afirma Karen Santos, designer e idealizadora do UX para Minas Pretas, projeto que atua na inserção de mulheres negras no mercado de tecnologia. “O resultado dessa experiência pode ser uma percepção positiva ou negativa”, complementa.

Santos explica que o conceito começou a se popularizar com Donald Norman, cientista cognitivo e designer que trabalhou na Apple nos anos 90. “UX envolve aspectos relacionados a design, hardware, software, interfaces, usabilidade e facilidade de busca, além de aspectos afetivos e de experiência. É a interação com produtos e serviços, o que permite observar a percepção e o pensamento de cada pessoa sobre um sistema ou dinâmica que acontece dentro dessa experiência”, diz a especialista.

Como o próprio Norman afirmou, UX é tudo:

 

Experiência e aprendizado

Assim como o pensamento computacional é “o caminho mais curto para encontrar soluções e desenvolver a capacidade de resolver problemas complexos”, segundo o professor Marcelo Veras, da Inova Consulting, as metodologias de UX também ajudam na resolução de problemas, uma das competências do futuro para o mercado de trabalho.

“Um dos conceitos abordados pelo UX é a resolução de problemas a partir do ponto de vista das pessoas, não apenas trazendo soluções prontas ou formatos definidos, mas principalmente após avaliar diferentes contextos trazidos pelos usuários”, diz Karen Santos.

Ou seja, após analisar itens como design, hardware, software e elementos pessoais de cada um, é possível chegar a soluções que tornem as experiências das pessoas mais significativas e envolventes em relação à facilidade de uso/acesso e prazer na utilização do produto ou serviço.

As metodologias do UX englobam entrevistas com usuários, com empresas, pesquisa sobre os desafios relacionados à experiência das pessoas com produtos/serviços e uma série de ações técnicas que envolvem arquitetura de informação, esquemas e produção de fluxos de tarefas.

O UX também pode contribuir para o aprimoramento de técnicas de ensino e aprendizagem, já que a educação também é uma área na qual estamos expostos a experiências. “É possível pensar em soluções de UX na educação como, por exemplo, de que forma professores e alunos podem criar, juntos, melhores soluções e dinâmicas em sala de aula”, afirma Santos.

Tudo isso pode levar a repensar o funcionamento de instituições de educação, ou de quais formas é possível promover a cultura de inovação e redesenhar o jeito de ensinar e aprender. “É como pegar o que temos de experiência e informação atuais e reformular tudo por meio das práticas de UX.Deixar tudo mais acessível e permitir que a gente entenda quais são as experiências de cada indivíduo e como elas podem melhorar”, finaliza a especialista.

Exemplos de UX na educação

Karen Santos, do UX para Minas Pretas, listou algumas iniciativas da área de ensino e aprendizagem que oferecem serviços variados e têm boas práticas de experiência de usuário:

Duolingo: plataforma de ensino de idiomas que conta com site e aplicativo por meio de aprendizagens personalizadas que estimulam o engajamento, a frequência e constantes interações com o usuário durante a experiência de uso.

Descomplica: vídeos, aulas extras online e materiais pedagógicos são disponibilizados em aplicativo e site voltados para vestibulandos, universitários e concurseiros.A ideia éagilizar e simplificar a relação do usuário com a plataforma.

Quero Bolsa: serviço debusca por bolsas de estudo em faculdades e escolas por meio de aplicativo e site, favorecendo o design e a interação para quem usa.



Deixe uma resposta aqui