Vai Tec anuncia novas oficinas com foco no uso de tecnologia

16 de setembro de 2019

O programa de aceleração e incentivo a negócios sociais inovadores oferecerá mentorias em tecnologia para que os empreendedores possam usar a presença digital em prol dos negócios


A 4ª edição do Aceleração Vai Tec – Programa de Incentivo a Iniciativas Tecnológicas foi anunciada no último dia 11 de setembro trazendo novidades aos participantes deste ano. Em evento realizado na sede da Prefeitura de São Paulo, os empreendedores dos 24 negócios selecionados pelo programa receberam com empolgação a informação sobre as novas oficinas de tecnologia.  Parte da trilha de formação do projeto, as oficinas agora receberão maior investimento e apoio de uma escola de programação e de habilidades tecnológicas, a Master Tech.

De acordo com Camila Achutti, CEO da Master Tech, a intenção é colaborar para que a tecnologia possa dar escala ao modelo de negócio de cada empreendedor. “Além de ter oficinas para que os jovens recebam apoio nessa jornada, é fundamental que eles entendam como a tecnologia e o mundo digital podem valorizar o negócio deles”, ressalta.

As formações deverão abordar questões sobre o uso de redes sociais como ferramenta de venda e outras capacitações.  “Queremos mostrar que a tecnologia pode ajudar todos os negócios do século XXI. Além disso, desmistificar alguns conceitos para que esses empreendedores tenham governança sobre a tecnologia e saibam utilizar a presença digital ideal para os negócios de cada um”, complementa.

Idealizado pela Agência São Paulo de Desenvolvimento (AdeSampa) e Secretaria Municipal do Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), o Vai Tec disponibiliza um programa intensivo para 24 negócios sociais inovadores. Ao longo de seis meses, empreendedores dos mais variados segmentos e regiões periféricas de São Paulo são capacitados por meio de mentorias de parceiros como Semente de Negócios, Aliança Empreendedora e Empreende Aí, que trabalham temas como gestão e aspectos jurídicos, pesquisas de mercado, canais de clientes e, a partir de agora, com o Master Tech, que terá um foco especial para o uso de tecnologias.

O Vai Tec também conta com a parceria da Fundação Telefônica Vivo, pelo segundo ano consecutivo, que além de apoio financeiro, colaborou na elaboração da metodologia para fomentar os negócios sociais, tendo como base a experiência do Pense Grande, programa que incentiva a juventude na criação de novas soluções e oportunidades para a transformação de suas vidas e das pessoas ao seu redor a partir do desenvolvimento de empreendimentos sociais.

 

Empreendedorismo como exemplo

Durante o evento, os empreendedores recebem também um recurso financeiro de R$ 33 mil por projeto, simbolicamente entregue na reunião por meio de um cheque, pelas mãos do diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo, Americo Mattar; o prefeito de São Paulo, Bruno Covas; a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso; e o presidente da Ade Sampa, Frederico Celentano.

Americo Mattar fez questão de enfatizar aos empreendedores o poder de transformação de cada um dos negócios acelerados. “É fundamental que vocês sejam exemplos para as suas comunidades. É o cara ou a mina da rua de cima que deu certo. Colocar o tema de forma que outras pessoas queiram empreender na quebrada ajuda romper o ciclo de pobreza, aumentar as oportunidades e promover mudanças na comunidade”, afirmou.

 

Perfil dos empreendedores selecionados

O programa recebeu ao todo 225 empreendimentos interessados em fazer parte da aceleração. Desses, foram selecionados 48 empreendedores, que tiveram quatro minutos para convencer uma banca formada por especialistas em empreendedorismo. Dalí, saíram os 24 negócios escolhidos para participar do Vai Tec.

No total das inscrições, 51% são mulheres, 35% têm entre 20 e 29 anos, 48% têm ensino superior completo e 33% médio. Além disso, 58% conta com fonte de renda própria e 34% dos candidatos possuem renda de R$ 998 a R$ 1.996.

O maior número de candidatos está na região de M’Boi Mirim, região sul da capital – 12% dos candidatos residem no distrito, seguido por 11% no Campo Limpo e 7% em Capela do Socorro, Guaianases e Itaquera, respectivamente.

“Já qualificamos mais de 160 empreendedores pelo Vai Tec e essa é a primeira vez que o número de mulheres é maior do que o de homens, o que mostra que o empreendedorismo feminino vem crescendo e precisa cada vez mais ser incentivado”, ressaltou a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, durante o encontro.

Entre os selecionados está o jovem empreendedor Dimas Reis Gonçalves, do Arrenda Horta, um negócio que consiste na implementação de hortas em espaços desocupados de residências de famílias de baixa renda que podem comercializar alimentos para a comunidade.

“Ter essas conexões e a aceleração no Vai Tec tem sido muito empolgante. O anúncio de hoje veio muito a calhar. Para o meu negócio, que tem como um dos focos automatizar os pedidos de clientes que venham por meio das redes sociais, ter essa pegada digital vai ser muito importante”, acredita.

Raquel Motta e Marcos Silva do projeto Sue The Real posam para foto com o cheque simbólico recebido nas mãos.

Quem também está ansiosa para botar a mão na massa, é a galera da Sue The Real, um estúdio de jogos, instalado na Zona Norte da cidade, focado em narrativas afro-brasileiras. Os jogos criados pelos jovens sócios Raquel Motta e Marcos Silva abordam temáticas de representatividade negra com o objetivo de entreter e ao mesmo conscientizar os jogadores para questões de demandas sócio-raciais.

“Nós que já usamos a tecnologia no dia a dia, temos outras demandas que têm tudo a ver com o nosso negócio. Por exemplo, a dificuldade em saber a melhor forma de lidar com as redes sociais. Esse tipo de mentoria nos interessa muito”, fala Marcos.

Para Raquel, muitas dúvidas que ambos tinham sobre empreender têm sido sanadas nas mentorias. “Estamos revendo muitas coisas no nosso negócio. A cada encontro tem um tema diferente. Em apenas três meses, já crescemos mais que do que em dois anos de estúdio. Então, a expectativa só aumenta”, finaliza.

 



Deixe uma resposta aqui