Voluntários conseguem doação de sala de cinema para idosos

13 de abril de 2018

Comitê de São Paulo foi responsável por conseguir doação e instalar as novas poltronas no espaço de entretenimento

Imagem mostra parte de uma plateia do cinema instalado na Casa dos Velhos Irmã Alice. Seis idosos aparecem sentados, olhando com atenção para a tela.

No último sábado (7), o Comitê de Voluntariado de São Paulo participou da entrega de doação de uma sala de cinema na Casa dos Velhos Irmã Alice, instituição localizada em Guarulhos (SP) e que abriga idosos do sexo masculino.

As antigas cadeiras de plástico e sofás que compunham o espaço dedicado às sessões de cinema deram lugar a poltronas novas e confortáveis, entregues pelos voluntários da Fundação Telefônica Vivo.

“É emocionante comparar o antes e o depois da sala”, comentou Zacarias Andrade, embaixador do Comitê de Voluntariado de São Paulo. “Com essa nova estrutura, vamos oferecer mais conforto e tecnologia para os idosos.”

 

 

Legado do DVT

A doação da sala de cinema para idosos foi feita por uma empresa parceira do Comitê, depois de a Casa dos Velhos Irmã Alice ter participado do Dia dos Voluntários Telefônica 2017 por indicação de Pablo Giordani, líder do Comitê de Voluntariado de São Paulo.

Orgulhoso, ele comemora o legado deixado pelos voluntários na instituição: “Além das entregas físicas, estou feliz de saber que possibilitamos aos idosos qualidade de vida”.

Para Karina Daidone Pimentel, Gerente de Projetos Sociais da Fundação Telefônica Vivo, a entrega é mais uma maneira de concretizar a principal missão da Fundação, que é usar tecnologia em prol do desenvolvimento social.

“Temos 42 Comitês no Brasil inteiro, com colaboradores envolvidos de diversas áreas da empresa. É por intermédio deste trabalho dos voluntários que conseguimos concretizar projetos significativos nas instituições”, explica.

 

Mais que um passatempo

Na inauguração da nova sala, os idosos assistiram ao filme nacional O Vendedor de Sonhos, do diretor Jayme Monjardim, lançado em 2016. Sentado na primeira fileira estava Arrogério Martins, de 65 anos, que vive há 14 anos na instituição. Para ele, os filmes tornam os dias mais alegres.  “O cinema é um privilégio, os filmes nos ajudam a espantar a tristeza”, diz.

Mas os benefícios do cinema vão além do entretenimento, como afirma o gerente administrativo da Casa dos Velhos Irmã Alice, Arivaldo de Morais. “Os filmes são excelentes ferramentas de trabalho para que os psicólogos e assistentes sociais realizem atividades socioeducativas, capazes de exercitar a memória e a sociabilização dos idosos”.

Leia também:



Deixe uma resposta aqui